Venda de máquinas agrícolas avança 50,4% em fevereiro ante janeiro, diz Anfavea

As vendas internas de máquinas agrícolas e rodoviárias no atacado atingiram 2.346 unidades em fevereiro, alta de 50,4% na comparação com janeiro, mas recuo de 36,5% ante igual mês do ano passado, divulgou nesta sexta-feira, 4, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

No acumulado do ano, a queda é de 44,6%. A produção de máquinas agrícolas e rodoviárias chegou a 2.926 unidades em fevereiro, alta de 80,4% na comparação com janeiro, porém retração de 39,8% ante um ano antes.

No acumulado do ano, a queda é de 52%. As exportações de máquinas agrícolas em valores totalizaram US$ 147,431 milhões em fevereiro, crescimento de 39,5% na comparação com janeiro, mas tombo de 0,7% ante igual mês do ano passado. No ano, as vendas externas acumulam retração de 21,1%.

O total de máquinas agrícolas exportadas no segundo mês do ano chegou a 505 unidades, alta de 54,4% em relação a janeiro. Já em comparação com fevereiro de 2015, houve queda de 39,1%.

Produção geral

A produção geral de veículos no Brasil teve em fevereiro mais um resultado negativo. Foram produzidas 131.313 unidades no mês, queda de 12,5% em relação a janeiro e recuo de 36,4% na comparação com igual mês do ano passado, informou a Anfavea. As montadoras já haviam registrado queda na produção em janeiro, de 29% na comparação com igual mês do ano anterior.

Com a segunda baixa consecutiva no ano, o setor acumula retração de 31,6% no primeiro bimestre em relação a igual intervalo de 2015, com a produção de 281.419 unidades. Em todo o ano passado, o recuo foi de 22,8% sobre 2014.

Considerando apenas os segmentos de automóveis e comerciais leves, a produção em fevereiro chegou a 124.510 unidades, recuo de 14% ante janeiro e retração de 36,5% sobre o volume de fevereiro do ano passado. No acumulado do ano, os dois segmentos caem 31,1%.
Separadamente, foram produzidos no mês 107.270 automóveis (queda de 16,9% ante janeiro e baixa de 35,3% ante um ano antes) e 17.240 comerciais leves (alta de 9,5% ante janeiro, mas baixa de 43,4% ante fevereiro de 2015).

Entre os veículos pesados, a produção de caminhões atingiu 5.297 unidades em fevereiro e com isso avançou 27,3% na comparação com janeiro. Recuou, porém, 30,8% em relação a igual mês do ano passado.

No primeiro bimestre, acumula retração de 40,7%. No caso dos ônibus, foram produzidas 1.509 unidades em fevereiro, alta de 28,3% na comparação com janeiro, mas queda de 41,9% ante igual mês de 2015. No acumulado do ano, a queda é de 45,2%.

Vendas

De acordo com a Anfavea, as vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus caíram 5,5% em fevereiro ante janeiro e recuaram 21% na comparação com igual mês do ano passado.

No segundo mês de 2015, foram emplacadas 146.809 unidades em todo o País. No acumulado do ano, foram 439.797 unidades vendidas, queda de 31,3% ante igual intervalo de 2015.

Considerando somente automóveis e comerciais leves, foram emplacadas 142.258 unidades em fevereiro, o equivalente a quedas de 5,1% na comparação com janeiro e de 20,6% ante um ano atrás.

No segundo mês do ano, foram vendidos 122.179 automóveis e 20.079 comerciais leves. No primeiro bimestre, os dois segmentos acumulam tombo de 31%.

As vendas de caminhões, por sua vez, atingiram 3.851 unidades em fevereiro, declínio de 12,8% na comparação com janeiro e de 25,3% ante igual mês do ano passado.

No acumulado do ano, houve baixa de 35,5%. No caso dos ônibus, foram vendidas 700 unidades no segundo mês do ano, tombos de 32,2% na variação mensal e de 54,2% na comparação anual. No ano, acumula queda de 49,1%.

Exportações

As exportações em valores de veículos e máquinas agrícolas somaram US$ 848,791 milhões em fevereiro, alta de 55% na comparação com janeiro e crescimento de 1,1% ante igual mês do ano passado.

No entanto, no acumulado do ano, houve baixa de 7,5% sobre o resultado de igual período de 2015. No segundo mês do ano, foram exportadas 36.484 unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus exportados, expansão de 53,1% na comparação com janeiro e alta de 16,7% ante um ano antes. No acumulado do ano, houve avanço de 26,8%.

Fonte: (Estadão)

X