Vantagens do etanol de cana serão apresentadas na Stock Car

Os carros que participam da corrida que marca a penúltima etapa da temporada da Copa Caixa Stock Car, que acontece domingo (21.11) serão abastecidos com etanol de cana-de-açúcar.

Nos boxes e nas arquibancadas, o público verá a equipe de promotoras em seus uniformes verdes, distribuindo folhetos informativos sobre a importância dos combustíveis limpos e renováveis, como já ocorreu em etapas anteriores da competição.

Essa iniciativa faz parte do Projeto AGORA, uma das maiores iniciativas de comunicação e marketing integrado da cadeia produtiva do setor sucroenergético, com o objetivo de conscientizar a população sobre as vantagens ambientais da produção e consumo do etanol obtido a partir da cana-de-açúcar.

Leandro Pampin, gerente de Marketing da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), explica que o material distribuído nas corridas resume de forma didática os benefícios ambientais do biocombustível brasileiro: “O folheto, que vem sendo distribuído desde a primeira corrida da temporada, explica porque usar etanol em vez de gasolina é uma atitude inteligente, ao mostrar a redução de poluentes e a melhora do desempenho dos motores que o etanol proporciona”.

Etanol nas pistas

Outras categorias do automobilismo que aderiram ao etanol são a Fórmula Indy, o Rally Dakar, o Rally dos Sertões e a fórmula Future Fiat, esta última idealizada e apadrinhada pelo piloto brasileiro Felipe Massa.

Desde o ano passado, a IndyCar Series utiliza 100% de etanol de cana-de-açúcar fornecido pela UNICA nas provas do circuito. E o Rally Dakar, considerado a maior competição off road do mundo, também estreou em 2010 uma categoria utilizando exclusivamente o etanol como combustível. O pioneiro da nova categoria, criada após 31 anos de disputa do evento, foi o piloto brasileiro Klever Kolberg, que competiu com uma Mitsubishi Pajero Sport Flex, fabricada no Brasil.

O Rally dos Sertões, que é considerada a maior competição off road do Brasil, também utilizou o etanol pela primeira vez na disputa este ano. Os veículos movidos com o biocombustível avançado brasileiro conquistaram a primeira, a segunda e a quarta posições, após dez dias de uma competição intensa, encerrada no dia 20 de agosto.

A bordo do Mitsubishi L200 Triton RS, Guilherme Spinelli ganhou a prova ao lado do navegador Youssef Haddad, seu terceiro título na competição. Pilotando o modelo Mitsubishi L200 flex e apoiado pela UNICA, a dupla Klever Kolberg e Flávio França chegou em segundo lugar, além de faturar o prêmio da categoria “Etanol”. Cristian Baumgart e Beco Andreotti chegaram na 4º colocação, acelerando um Mitsubishi L200 Triton.

X