Valor do indicador para venda de energia da biomassa despenca 19%

946197-energia_linha%20de%20transmiss%C3%A3o-18O Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), indicador para venda da energia elétrica da biomassa da cana-de-açúcar no mercado spot, despencou 19% entre a semana passada e a vigente. Até 03/06, o PLD vale R$ 59,68 o megawatt-hora (MWh) no submercado Sudeste/Centro-Oeste, onde fica a maioria das unidades termelétricas das usinas de cana-de-açúcar.

Leia mais: Raízen Combustíveis registra queda no lucro líquido 

Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), gestora do PLD, no submercado Sul o indicador caiu 24%, ficando em R$ 55,80/MWh.

No Nordeste, o preço foi de R$ 99,79/MWh para R$ 143,67/MWh, aumento de 44%, e o PLD no Norte, que saiu de R$ 77,98/MWh e se igualou ao valor fixado para o Nordeste, subiu 84%.

Leia mais: Setor de energias renováveis emprega 8,1 milhões 

Acima

A previsão de afluências para maio ficou em 77% da Média de Longo Termo (MLT), fechando acima da média apenas no Sul (128%). As ENAs para o quinto mês do ano fecharam em 87% no Sudeste, 24% no Nordeste e em 39% no Norte.

Já para junho, as afluências são esperadas em 87% da MLT para todo o Sistema e abaixo da média em todos os submercados, exceto no Sul.

A disparidade entre o PLD do Nordeste e do Norte com os demais permanece, uma vez que os limites de recebimento de energia destes submercados foram atingidos.

Os limites de transmissão de energia entre Nordeste e Norte, por sua vez, deixam de ser atingidos, e os preços entre estes submercados se equalizam. O envio de energia do Sul para o Sudeste também atinge seu limite e os preços entre estes submercados ficam diferentes.

Os níveis dos reservatórios do SIN ficaram aproximadamente 4.600 MWmédios acima do esperado, elevação observada em todos os submercados. As elevações foram de 2.400 MWmédios no Sudeste, 2.000 MWmédios no Sul, 50 MWmédios no Nordeste e de 60 MWmédios no Norte.

A previsão de carga para o SIN na primeira semana de junho está aproximadamente 1.300 MWmédios mais baixa em relação ao previsto na semana anterior, redução esperada em todos os submercados com exceção do Sul, cuja carga se manteve praticamente estável. A redução da carga é ocasionada pelas temperaturas mais amenas em todo o país.

O fator de ajuste do MRE estimado para maio foi estimado em 90%. O índice esperado para junho é de 92,7%. Os Encargos de Serviços do Sistema – ESS estão previstos em R$ 209 milhões em maio, sendo R$ 64 milhões referentes à segurança energética. Já para o próximo mês, o ESS esperado é de R$ 111 milhões com o montante de R$ 40 milhões associado à segurança energética.

 

X