Usineiros irão produzir 1 bilhão de litros de álcool ainda neste ano

Para conter os avanços do preço do combustível no mercado nacional, a União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica) espera produzir mais de um bilhão de litros de álcool em 2006. Com isto, o país deve superar a produção de 2005 e evitar que 2007 apresente nova escassez do produto no mercado interno no no período entressafra.

Segundo a entidade, os consumidores ainda terão de arcar com o alto preço do álcool durante mais dois meses. A estimativa é que em 60 dias o preço comece a establilizar. Ainda de acordo com a Unica, o período de alta dos preços ainda vai se estender porque a antecipação da safra da cana-de-açúcar não atingiu a todas as usinas. Entretanto, a entidade prevê que em abril, 93% das usinas já estarão fazendo a colheita.

Segundo dados divulgados hoje pela Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-USP), apesar de terem recuado ligeiramente no final da semana passada, as médias do preço do álcool nas usinas fecharam novamente em alta na semana passada.

O indicador semanal para o anidro subiu 3,55%, encerrando em R$ 1,21864/litro (sem impostos). O hidratado teve elevação de 3,4%, para R$ 1,24124/litro. Em relação à paridade de preços entre os produtos do setor sucroalcooleiro, cálculos do Cepea indicam que o preço médio do açúcar remunerou 29% mais que o do álcool anidro e 20% mais que o do hidratado na última semana. Comparando-se os dois tipos de álcool, o hidratado remunerou 7% mais que o anidro no mesmo período.

X