Usinas recusam-se a vender álcool abaixo do preço de custo

Os empresários do setor sucroalcooleiro não estão negociando álcool anidro no mercado abaixo de R$ 0,50 o litro, diz uma fonte do setor. “As cotações do álcool nos últimos dias não cobrem os custos de produção”, afirma a fonte. No acumulado do ano, os preços do álcool anidro acumulam desvalorização de 23% e recuo de 15,3% nos últimos doze meses.

De acordo com um empresário do setor, os custos de produção do álcool anidro têm oscilado entre R$ 0,45 e R$ 0,50 o litro.

Com o avanço da safra de cana-de-açúcar no Centro-Sul, os preços do açúcar e do álcool no mercado interno têm registrado desvalorização. “Mas o ritmo de queda do açúcar tem sido menor que o do álcool nos últimos dias”, diz um operador de mercado. Os compromissos das usinas com os contratos de exportação de açúcar provocaram falta do produto no mercado físico, o que tem impulsionado os preços internacionais da commodity.

No caso do álcool, parte das distribuidoras de combustíveis tem entrado pouco no mercado na expectativa de que os preços do álcool anidro caiam ainda mais com o avanço do processamento da matéria-prima, diz o operador.

Entre quinta-feira e sexta-feira, os contratos futuros do álcool na Bolsa de Mercadorias & Futuro (BM&F) subiram, “em razão de notícias de que as usinas estariam se recusando a vender álcool”.

Estoque estratégico – Nos próximos dias, a Coimex e outras duas tradings, a ED&F Man e Alcotra, estarão negociando cerca de 1 bilhão de litros de álcool no exterior, por meio de um acordo fechado com parte das usinas do de açúcar e álcool do Centro-Sul.

A Coimex será responsável pela comercialização de 70% do volume total, ou 700 milhões de litros. Não há um compromisso de vender todo o volume nesta safra, a 2002/03. Segundo uma fonte do setor, pelo menos 400 milhões de litros deverão ser negociados até o mês de abril de 2003. Este acordo serve também para a formação de um estoque estratégico do setor, diz a fonte. (Gazeta Mercantil)

X