Usinas produzem energia verde em Goiás

Mais de 3% da matriz energética nacional é produzida por meio do bagaço da cana-de-açúcar. Regras para geração e comercialização desta energia são abordadas em reunião. Com a ativação de três novas usinas até o final deste mês – em Caçu, Goiatuba e Itumbiara –, Goiás passa a contar com 29 empreendimentos do gênero.

Para 2009, a expectativa do Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool de Goiás (Sifaeg) é que o número de usinas em território goiano chegue a 36. São 15 usinas geradoras que aproveitam o bagaço da cana para produção de energia. Juntas, somam capacidade instalada para geração de 260 mil quilowatts/mês.

Outras duas, com autorização de registro, estão em construção. No País, são 254 usinas geradoras de energia que usam subproduto da cana como combustível e produzem mais de 3,4 milhões de quilowatts/mês, equivalente a 3,09% da matriz energética nacional.

Para discutir regras de geração e comercialização de energia elétrica por meio de usinas de cana por meio do bagaço, aconteceu ontem o 1º encontro sobre Regulação da Geração de Energia para o Setor Sulcroalcooleiro de Goiás.

Previsão do Sifaeg é de que até 2010, 55 usinas com condições de produzir energia do bagaço e cinzas da cana deverão estar ativadas em Goiás. Hoje, das que geram a energia elétrica consumida, apenas quatro comercizalizam o excedente.

Potencial

Segundo o presidente do Sifaeg, André Rocha, quando estiverem em funcionamento as 55 usinas previstas, setor vai saltar de 28 milhões para 75 milhões de toneladas/ano. Secretário de Desenvolvimento Econômico, João de Paiva Ribeiro lembrou viabilidade da produção, atende demanda energética das usinas e pode gerar de divisas. Secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Roberto Freire destacou crescimento da demanda por energia.

Secretário de Indústria e Comércio, Luiz Medeiros Pinto, e Wanderlino Teixeira de Carvalho, da AGR, estiveram presentes ao evento. Existem outros 87 empreendimentos, com capacidade para gerar 10,3 milhões de quilowatts/mês, sendo que, destes, 53 estão em operação e produzem 8,8 milhões de quilowatts/mês e 34 em construção ou em posse de outorga, que devem produzir juntas 1,6 milhão de quilowatts/mês.

X