Usinas ofertam etanol para fazer caixa e preços mantêm queda

Os preços do etanol, tanto hidratado quanto o anidro, encerraram a última semana de novembro em baixa, após valorização ao longo das três primeiras semanas. Ontem, o mercado manteve a tendência, devido ao contínuo volume de ofertas por parte das usinas, que precisam fazer caixa para cumprir suas obrigações, em cenário de crédito mais restrito.

“Muitas das usinas não estão capitalizadas e precisam de recursos para honrar o pagamento dos funcionários, décimo terceiro e, além disso, também é época de fazer a rescisão dos cortadores de cana”, avalia Rodrigo Bertone, trader da Bauche Energy. “Então, dessa forma as companhias ofertaram maior volume de etanol na última semana do mês, porque é um produto cuja comercialização traz remuneração mais rápida se comparada à do açúcar.”

De acordo com a Safras&Mercados, ontem os preços do etanol continuaram recuando, com cotações em patamares entre R$ 0,01 a R$ 0,02 mais baixos do que na última sexta-feira. Em Ribeirão Preto (SP), o litro do hidratado esteve cotado entre R$ 0,75 a R$ 0,78 (sem impostos), enquanto o anidro registrou R$ 0,92 a R$ 0,93 o litro (sem impostos). “No final do dia, na sexta-feira da semana anterior, notou-se uma redução nas ofertas do combustível, por parte das usinas. Havia uma sensação de que o mês de dezembro começaria com reação de preços. Mas não foi o que ocorreu, a semana começou com forte ritmo de ofertas pois as usinas estão precisando de dinheiro”, avalia Miguel Biegai, analista da Safras.

A média da semana passada do hidratado fechou em R$ 0,7387 o litro (sem impostos) em São Paulo, recuo de 3,48% ante a média de cotações da semana imediatamente anterior. Mesmo com a desaceleração no final do mês, no acumulado de novembro o litro do hidratado obteve valorização de 8,2%, na comparação das médias semanais, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. No caso do anidro, a média de preços do litro atingiu R$ 0,8972 na semana passada, queda de 2,15% na comparação com a semana imediatamente anterior. Ao longo de novembro, os preços do anidro também acumularam alta, de 2,65%, conforme os dados registrados pelo Cepea.

Quanto às exportações, estão em ritmo fraco. Segundo Bertone, da Bauche, é comercializado o produto já contratado anteriormente. Por enquanto, os compradores internacionais estão em compasso de espera para fechar novos negócios devido ao cenário global incerto.

Usinas ofertam etanol para fazer caixa e preços mantêm queda

Os preços do etanol, tanto hidratado quanto o anidro, encerraram a última semana de novembro em baixa, após valorização ao longo das três primeiras semanas. Ontem, o mercado manteve a tendência, devido ao contínuo volume de ofertas por parte das usinas, que precisam fazer caixa para cumprir suas obrigações, em cenário de crédito mais restrito.

“Muitas das usinas não estão capitalizadas e precisam de recursos para honrar o pagamento dos funcionários, décimo terceiro e, além disso, também é época de fazer a rescisão dos cortadores de cana”, avalia Rodrigo Bertone, trader da Bauche Energy. “Então, dessa forma as companhias ofertaram maior volume de etanol na última semana do mês, porque é um produto cuja comercialização traz remuneração mais rápida se comparada à do açúcar.”

De acordo com a Safras&Mercados, ontem os preços do etanol continuaram recuando, com cotações em patamares entre R$ 0,01 a R$ 0,02 mais baixos do que na última sexta-feira. Em Ribeirão Preto (SP), o litro do hidratado esteve cotado entre R$ 0,75 a R$ 0,78 (sem impostos), enquanto o anidro registrou R$ 0,92 a R$ 0,93 o litro (sem impostos). “No final do dia, na sexta-feira da semana anterior, notou-se uma redução nas ofertas do combustível, por parte das usinas. Havia uma sensação de que o mês de dezembro começaria com reação de preços. Mas não foi o que ocorreu, a semana começou com forte ritmo de ofertas pois as usinas estão precisando de dinheiro”, avalia Miguel Biegai, analista da Safras.

A média da semana passada do hidratado fechou em R$ 0,7387 o litro (sem impostos) em São Paulo, recuo de 3,48% ante a média de cotações da semana imediatamente anterior. Mesmo com a desaceleração no final do mês, no acumulado de novembro o litro do hidratado obteve valorização de 8,2%, na comparação das médias semanais, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. No caso do anidro, a média de preços do litro atingiu R$ 0,8972 na semana passada, queda de 2,15% na comparação com a semana imediatamente anterior. Ao longo de novembro, os preços do anidro também acumularam alta, de 2,65%, conforme os dados registrados pelo Cepea.

Quanto às exportações, estão em ritmo fraco. Segundo Bertone, da Bauche, é comercializado o produto já contratado anteriormente. Por enquanto, os compradores internacionais estão em compasso de espera para fechar novos negócios devido ao cenário global incerto.

Os preços do etanol, tanto hidratado quanto o anidro, continuaram ontem a tendência de baixa da última semana de novembro, devido ao grande volume de oferta das usinas.

X