Usinas goianas negociam venda de álcool à Suíça

Empresários reúnem-se provavelmente em Genebra para discutir proposta de embarque de 100 milhões de litros. A terceira rodada de negociações entre fabricantes de álcool de Goiás e representantes do governo suíço deverá acontecer entre o final desta semana e o início da próxima, provavelmente em Genebra, quando se espera que os dois lados avancem na definição de uma proposta que prevê o embarque, ainda nesta safra, de 100 milhões de litros destinados a um grupo empresarial suíço com atuação na área de varejo. Se confirmado, o volume corresponderá a 16,6% da produção esperada para a safra 2003/2004 de álcool em Goiás, estimada em 602,6 milhões de litros.

Com base nos preços médios praticados hoje no mercado internacional, entre US$ 350 a US$ 370 por metro cúbico, a exportação desta primeira partida de álcool poderá representar algo em torno de US$ 35 milhões a US$ 37 milhões – números sensivelmente superiores às projeções apresentadas no segundo encontro entre goianos e suíços, realizado no final de janeiro deste ano, em Goiânia, na sede do Sindicato da Indústria de Fabricação de Açúcar e Álcool do Estado de Goiás (Sifaeg).

Na ocasião, diretores e executivos de várias usinas do estado, entre eles o grupo Antônio Farias, que opera duas usinas em Goiás, e uma em São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Norte, reuniram-se com o embaixador da Suíça no Brasil, Jürg Leutert, quando se chegou a discutir uma operação inicial de venda de 60 milhões de litros. O encontro agendado para a Suíça, afirma o presidente executivo do Sifaeg, Igor Montenegro Celestino Otto, incluirá, desta vez, representantes dos empresários suíços.

Joint ventures

Segundo revelou em janeiro o embaixador suíço, as transações entre os dois países poderão atingir cerca de 500 milhões de litros. Se as conversações com as usinas goianas realmente avançarem, como espera o setor, Goiás poderá participar com um quinto daquele volume, surgindo a possibilidade de formação de joint ventures entre usinas goianas e empresas suíças com capital suficiente para alavancar a produção do estado e suprir as encomendas que vierem a ser acertadas no futuro.

Mercado europeu

A expectativa é de que os negócios entre Goiás e Suíça possam ser ampliados, depois de acertado este primeiro contrato, diante da exigência da União Européia de iniciar os programas comunitários de mistura do álcool na gasolina a partir de 2005, disse Montenegro. O presidente do Sifaeg aproveitará a oportunidade para sondar o mercado de créditos de carbono na Europa, o que poderá abrir novas oportunidades de negócios para as usinas.

Montenegro embarcou ontem com destino à Alemanha e Suíça, em companhia do presidente da usina Rio Negro, de Inhumas (GO), Neílton Cruvinel, e do diretor da Nova União, de Jandaia (GO), Leonardo Jayme, ex-presidente do sindicato. Os três, por sua vez, acompanham uma comitiva do governo goiano que participará, amanhã e depois, em Frankfurt, da 8ª Conferência de Economia Alemanha-América Latina, quando se prevêem as presenças do ministro dos Transportes da Alemanha, Manfred Stolp, do presidente da Confederação Alemã das Câmaras de Indústria e Comércio, Ludwig Braun, do presidente do Peru, Alejandro Toledo, e do ministro brasileiro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan.

A missão goiana, comandada pelo governador Marconi Perillo, será integrada ainda pelo secretário estadual de Comércio Exterior, Ovídio de Angelis, pelos presidentes da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Feig), Paulo Afonso Ferreira; da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial de Goiás (Adial), Cyro Miranda, e pelo presidente da Associação Comercial e Industrial do Estado (Acieg), David Coutinho, entre outras lideranças empresariais.

A comitiva deverá tratar, ainda, da organização do Encontro Econômico Brasil-Alemanha, um tradicional fórum empresarial realizado anualmente entre os dois países e que, pela primeira vez, será realizado em Goiás. Promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Bundesverband der Deutschen Industrie (BDI), com o apoio do Conselho Integrado das Câmaras de Comércio e Indústria Alemãs no Brasil, o encontro acontecerá entre os dias 26 e 28 de outubro no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia, paralelamente à reunião anual da Comissão Mista Brasil-Alemanha de Cooperação Econômica.

Fonte: Gazeta Mercantil

X