Usinas acompanham seminário sobre crédito de carbono e tratamento de vinhaça

As usinas associadas da Biocana, Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Energia, poderão acompanhar nesta quarta-feira (10) o Seminário sobre Crédito de Carbono e Tratamento de Vinhaça.

Na primeira parte do encontro promovido pela Associação, o palestrante Fábio Saldanha – gerente do Departamento de Energia e Emissões de Carbono da Capital Markets – vai apresentar as vantagens da comercialização de créditos de carbono na Bluenext, uma das mais importantes bolsas do mundo, especializada em mercado de energia.

O crédito de carbono é uma espécie de certificado que é emitido quando há diminuição de emissão de gases que provocam o efeito estufa e o aquecimento global. Um crédito de carbono equivale a uma tonelada de CO2 (dióxido de carbono) que deixou de ser produzido.

Empresas que conseguem diminuir a emissão de gases poluentes obtém estes créditos, podendo vendê-los nos mercados financeiros nacionais e internacionais. Estes créditos geralmente são comprados por empresas que não conseguem reduzir a emissão dos gases poluentes, permitindo-lhes manter ou aumentar a emissão.

A quantidade permitida de emissão de gases poluentes e as leis que regem o sistema de créditos de carbono foram definidas durante as negociações do Protocolo de Kyoto que obrigou os países industrializados a reduzir estas emissões em 5,2% entre 2008 e 2012 em relação aos índices registrados em 1990.

Na segunda etapa do seminário, o tema abordado será o “Tratamento da vinhaça de forma sustentável”. Será apresentado um sistema inovador adotado por uma usina do centro-oeste paulista, cujos resultados são positivos do ponto de vista ambiental e financeiro. A vinhaça é o resíduo resultante da destilação do caldo da cana-de-açúcar para a obtenção do etanol. Hoje, o produto tem sido muito utilizado nos processos de fertiirrigação.

X