Usina São Domingos e Senar alfabetizam trabalhadores rurais

A Usina São Domingos em parceria com o Senar promoveram no dia 11 de novembro, a formatura de 30 colaboradores participantes do Projeto de Alfabetização Rural. A formatura aconteceu no salão paroquial de Catiguá (SP) e contou com a presença da prefeita do município Vera Lúcia Valejo, que também apoiou o curso de capacitação.

Durante a cerimônia, os formandos receberam o diploma e assistiram a um vídeo que ilustrou todas as fases do curso. Emocionado, o trabalhador rural Expedito dos Santos lembrou que aos 47 anos foi o seu primeiro diploma. “Pode não parecer nada, mas, para mim, é muita coisa. Só tenho a agradecer”, comenta.

Para a prefeita, educação traz desenvolvimento e a usina está certíssima por oferecer aos seus colaboradores o mínimo de formação. “Creio que este foi o primeiro passo na vida educacional destas pessoas e as escolas do município estão de portas abertas para recebê-los novamente”, afirma.

A São Domingos garantiu transporte e material didático aos alunos. O curso durou seis meses e as aulas aconteceram na Escola Municipal Serafim Sanches, em Catiguá (SP).

O supervisor de Recursos Humanos da Usina São Domingos, Marcos Antonio Bernardo, incentivou os formandos a continuar estudando. “Este tipo de curso vem para atender a necessidade da empresa e representa uma oportunidade para estas pessoas, já que, com este diploma, elas estão aptas a fazer novos treinamentos e galgar cargos maiores dentro da usina”, alerta.

“Estou muito feliz, porque quem não sabe ler é parecido com um cego. Agora eu já sei ler as placas, sei decifrar os nomes das cidades para onde eu vou e consigo saber os preços dos produtos no mercado. Não preciso ficar pedindo para ninguém”, diz emocionado o trabalhador rural Rogério dos Santos.

Em seu discurso, o representante do Senar, José Paulo Ravazzi parabenizou os formandos. “Sabemos que é difícil trabalhar o dia todo e ainda ir para a sala de aula à noite. Por isso, todos estão de parabéns pelo esforço e pela dedicação. O Senar se sente honrado por ter proporcionado este curso que pode mudar a vida de cada um destes trabalhadores”, salienta.

A presidente da Biocana – Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Energia, Leila Alencar Monteiro de Souza, representou o setor sucroenergético no evento e enfocou a necessidade da capacitação profissional dentro da indústria canavieira. “O setor está em constante transformação e é preciso acompanhar estas mudanças. A nossa parte estamos fazendo, que é incentivar a capacitação profissional. Com isso, as usinas cumprem também seu compromisso social, premissa primordial da sustentabilidade”, afirma.

X