Usina Cruangi inicia moagem e deve aumentar produção em 45%

Lima:
Lima: usina produzirá 45% a mais que a safra anterior

A moagem da Usina Coaf/Cruangi, em Timbaúba (PE), começa nesta quarta-feira (24). A expectativa é esmagar cerca de 430 mil toneladas de cana-de-açúcar e fabricar 32 milhões de litros de etanol.

A unidade também pretende dobrar o número de empregados no parque fabril contratando 3,5 mil funcionários para o corte e transporte da cana nas propriedades de 800 agricultores cooperados, nos municípios de Timbaúba, Vicência, Condado, Macaparana, Itaquitinga, Nazaré da Mata, Ferreiros, Aliança, Goiana, Itambé, Buenos Aires e Carpina.

Depois de iniciada a moagem, a usina deve ficar funcionando 24 horas por dia até janeiro de 2017, período previsto para encerrar a produção no local. A previsão é de aumentar em quase 45% a produção de álcool em comparação a fabricação na safra passada, que foi de 22 milhões de litros. Esta é a segunda moagem consecutiva da Coaf/Cruangi depois de arrendada e administrada por canavieiros ligados à Cooperativa da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (Coaf/AFCP).

A usina passou a ser uma cooperativa de centenas de agricultores depois de arrendada em 2015, passando a se chamar Coaf/Cruangi. Coaf é o nome da cooperativa em questão.

O governo do Estado apoia esta iniciativa. “O governador Paulo Câmara ampliou em 2015 o crédito presumido do ICMS do etanol produzido na usina por ela ser gerida por agricultores via cooperativismo, o que tem contribuído para restabelecer o desenvolvimento socioeconômico no local através da forte vocação desta região, que é a cana”, diz Alexandre Andrade Lima, presidente da Coaf e AFCP. O crédito presumido subiu de 12% para 18,5% por cada litro de etanol produzido na cooperativa.

Andrade Lima diz que as contratações de pessoal para trabalhar dentro da usina já estão avançadas. Deve chegar a 300 funcionários até o começo de setembro. No campo, os fornecedores de cana cooperados da Coaf/AFCP, a qual administra Cruangi, também já começaram os preparativos para preencher os 3,5 mil postos de trabalho necessários para realizarem o corte e transporte da cana. A previsão é de colher e transportar para o parque fabril cerca de 430 mil toneladas nesta safra.

X