Usina adianta no MS colheita da safra

O grupo pernambucano Tavares de Melo (GTM), controlador das usinas sul-mato-grossenses Maracaju e Passa Tempo, inicia sua safra 2006/2007 quase um mês antes do período normal para a região. “Iniciamos a safra com um mês de antecedência, embora as canas ainda não estejam no ponto ideal de maturação. Esta é a nossa contribuição para minimizar a crise de oferta de álcool combustível e regularizar o mais rapidamente possível o problema do abasteci-mento do mercado”, afirma o presidente do GTM, Carlos Tavares de Melo.

A expectativa é operar a moagem de 1,5 milhão de toneladas na Usina Maracaju e outras 1,7 milhão de toneladas na Usina Passa Tempo. Com essa tonelagem, a corporação espera produzir uma média de 2,6 milhões de sacos de açúcar e 45 milhões de litros de álcool na UM. Na Usina Passa Tempo serão fabricados cerca de três milhões de sacos de açúcar e 48 milhões de litros de álcool. “Os consumidores esperam uma resposta positiva do setor e nós estamos cumprindo nossa parte”, aponta Carlos Tavares de Melo.

A usina Passa Tempo, instalada em Rio Brilhante, e a usina Maracaju, no município de mesmo nome, investiram em aquisição de equipamentos para a indústria e para o campo, resultando em expansão de área plantada e novas tecnologias. Um dos destaques das novidades para a esta safra são os lavadores de gás instalados na usina Maracaju. As máquinas, que têm eficiência de 95%, evitarão que o meio ambiente receba cerca de 30 toneladas diárias de fuligem, causadora de poluição. Outra característica considerada importante e ambientalmente correta é que o material recolhido será utilizado na correção do solo.

Na última safra (2005/2006), o volume de cana moída na usina Maracaju superou as 1,3 milhão de toneladas, o que produziu mais de 2,2 milhões de sacos de açúcar e 40,4 mil metros cúbicos de álcool. A moagem na usina Passa Tempo foi de 1,3 milhão de toneladas, com a fabricação de mais de 1,7 milhão de sacos de açúcar e 27,9 mil metros cúbicos de álcool.

kicker: Expectativa é operar a moagem de 1,5 milhão de toneladas na Usina Maracaju e outras 1,7 milhão de toneladas na Usina Passa Tempo

X