Unica: excesso de chuvas preocupa canavieiros no Centro-Sul

Enquanto a seca atrasa o plantio da safra de cana indiana, o excesso de chuvas já prejudica o andamento da safra brasileira do Centro-Sul. As chuvas que caem em demasia desde junho está atrasando a colheita da cana e já começa a afetar a qualidade da planta, reduzindo seu teor de açúcar.

Segundo Antonio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria de cana-de-açúcar (Unica), só em junho, o Estado de Paraná ficou impossibilitado de colher durante 11 dias por conta das chuvas. “Este cenário está voltando a se repetir em julho. O mês foi bastante chuvoso e mais chuvas estão previstas para este final de semana, o que deve atrasar a colheita”, disse.

Porém, para Pádua, o que preocupa mais é o efeito destas chuvas na qualidade da cana-de-açúcar que será colhida ainda nesta safra. “As chuvas interrompem a maturação da cana-de-açúcar e reduz o seu teor de sa! carose. O resultado é que a safra fica mais cara”, disse. Já no transporte desta cana, o custo logístico aumenta já que está encharcada e com maior peso. “E na hora da moagem, mais cana precisa ser processada para se conseguir igual volume de produto obtido com cana de maior qualidade”, explica.

No relatório divulgado pela Unica, referente ao processamento da segunda quinzena de junho, os dados já mostravam o impacto das chuvas. A moagem na segunda quinzena de junho totalizou 33,23 milhões de toneladas de cana, 0,74% inferior ao total da mesma quinzena na safra passada. Já o teor de sacarose medido pelo Açúcar Total Recuperável chegou a 133,02 kg por tonelada de cana até o dia 30 de junho, queda de 1,31% no período. Já na safra acumulada, embora a cana moída tenha aumentado 25%, o ATR acumulado está estável em 123,98 kg por tonelada de cana.

Segundo Luiz Carlos Corrêa Carvalho, consultor da Canaplan, a situação é complicada porque, além das chuvas que estão atrasando a colheita neste momento, a expectativa é de que as chuvas de verão cheguem mais cedo por conta da ocorrência do El Nino, que tradicionalmente antecipa e aumenta o volume das chuvas. Geralmente, a safra de cana do setor Centro-Sul se estende até início de dezembro. “Como a qualidade da cana também está menor, seria necessário um maior volume de cana moída para atingir a produção estimada”, disse. Carvalho disse, contudo, que para a cana que será colhida na safra 2010/11 as chuvas são benéficas. “A produtividade da próxima safra com certeza será elevada por conta das chuvas atuais”, explica.

X