Unica elogia uso de etanol brasileiro na Fórmula Indy

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações (Apex-Brasil) assinou um pré-acordo nesta segunda-feira, 17, para tornar o Brasil o mais novo fornecedor de etanol para Fórmula Indy – categoria movida exclusivamente pelo biocombustível desde 2007.

Em nota, a União da Indústria da cana-de-açúcar (Unica) afirma que o entendimento contribui para a consolidação do etanol como commodity global. “Trata-se de uma contribuição para que o etanol atinja o status de commodity energética global e cumpra seus objetivos maiores, ajudando a garantir a segurança energética do planeta e a reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa”, afirmou o presidente da entidade, Marcos Jank.

Além disso, segundo o texto, a decisão segue a linha do Memorando de Entendimento em biocombustíveis, assinado entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos no ano passado. Para Jank, a iniciativa contribui para o aprofundamento da parceria natural entre os dois países, principais produtores e consumidores de etanol do planeta que, juntos, respondem por mais de 75% do etanol mundial.

A Unica foi informada sobre a negociação entre a Apex-Brasil e a Fórmula Indy há três semanas. A parceria, segundo a nota, tem como objetivo principal o aproveitamento da temporada dessa categoria automobilística como veículo para viabilizar a promoção de diversos produtos brasileiros nos mercados onde ocorrem as competições da Indy: Estados Unidos, Canadá e Japão. A pedido da APEX-Brasil, a Unica vai consultar suas empresas associadas para identificar interessadas em fornecer ou adquirir etanol para uso na composição do combustível a ser utilizado nas competições da Indy.

“Em um momento de graves dilemas financeiros, energéticos e ambientais, a Unica acredita que o uso de etanol oriundo de diferentes matérias-primas agrícolas na Formula Indy simbolizaria o sonho de uma maior integração energética dos países americanos, com potencial para se estender por todo o planeta”, afirma o comunicado.

“Além dos pilotos brasileiros que já competem nessa categoria, a participação da APEX-Brasil na Fórmula Indy é uma evolução natural do processo. Estamos ansiosos para contribuir para que a Indy continue demonstrando todos os benefícios do uso do etanol em substituição aos combustíveis de origem fóssil. Trata-se de um trabalho de equipe, em que Brasil e Estados Unidos têm a obrigação de estar à frente na corrida global pela busca de fontes alternativas de energia”, completou Jank.

X