Unica é contrária à redução da mistura de etanol à gasolina

Nos próximos dias, o Governo Federal decidirá se diminui ou não o percentual de mistura do etanol à gasolina, de 25% para 20%. O objetivo é conter o aumento dos preços do biocombustível da cana, que superaram a variação da inflação nos últimos 12 meses, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O presidente da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), Marcos Jank, é contrário à redução da mistura. Ele esteve em Brasília nesta segunda-feira (9) para tentar convencer o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a aguardar o balanço da safra em dezembro antes de decidir algo.

Jank acredita que o próprio mercado regulará os preços, no caso do etanol hidratado (usados nos veículos flexfuel ou movidos apenas a etanol), já que o consumidor tem a possibilidade de substituir o produto pela gasolina. A redução de 5% na mistura representaria menos 100 milhões de litros de etanol por mês.

X