Um milhão de toneladas

O Brasil fechou ontem o maior contrato de créditos de carbono gerado já registrado pela Organização das Nações Unidas (ONU), numa operação entre a Biogás, sócia da Prefeitura de São Paulo no Aterro Bandeirantes, e o banco alemão KFW, informou a Econergy, responsável pelo negócio. O Aterro Bandeirantes, um dos maiores projetos do planeta em geração de energia elétrica a partir do lixo, vendeu para o KFW 1 milhão de toneladas de crédito de carbono. Isso será repassado para empresas clientes do banco europeu.

O projeto prevê gerar 8 milhões de toneladas de crédito de carbono até 2012, que serão posteriormente negociadas. O Aterro recebe metade do lixo de São Paulo, ou 80 mil toneladas diárias, e utiliza o metano liberado para gerar energia elétrica. A usina do Aterro gera 22 MW.

“É o maior contrato mundial já assinado. Estamos desde 2004 negociando e agora recebemos auditoria e aprovação da ONU”, explicou o vice-presidente de transações da Econergy International, Marcelo Junqueira. Ele afirmou que o valor do contrato não pode ser revelado, mas ficou acima dos € 15 por tonelada, cotação média que vem sendo fechada em outros países.

“Nenhum projeto desse porte, no entanto, já tem crédito de carbono gerado, como a do Aterro Bandeirantes, ou seja, é uma pronta entrega”, explicou Junqueira.

X