UE reduz projeção de estoques finais de milho por maior uso para etanol

A Comissão Europeia reduziu acentuadamente sua projeção para os estoques de milho na União Europeia ao fim da safra 2016/17 para levar em consideração o maior uso do cereal na produção de etanol ao longo das últimas cinco safras, em relação ao que havia sido imaginado anteriormente, disse o órgão nesta quarta-feira.

Nos dados mensais de oferta e demanda publicados em seu site, a Comissão estimou os estoques finais de milho em 2016/17 em 9,95 milhões de toneladas, contra 15,9 milhões estimadas no mês passado.

“Entre o fim de dezembro e o início de janeiro, os serviços da Comissão revisaram todos os balanços desde a safra 2012/13”, disse uma autoridade da Comissão à Reuters.

O uso mais amplo no etanol significou menos milho ao final de cada safra e, em um efeito dominó ao longo de diversos anos, uma queda nos estoques iniciais de 2016/17 para 12,2 milhões de toneladas ante estimativa de 18,5 milhões no mês passado.

Para 2016/17 a Comissão estimou o uso de milho para a produção de bioetanol em 6 milhões de toneladas, acima das 4,8 milhões de toneladas estimadas no mês passado.

A Comissão também elevou sua previsão para as importações de milho dentro do bloco em 1 milhão de toneladas, para 14 milhões de toneladas, e elevou os usos industriais e consumo de ração animal em mais de 1 milhão de toneladas cada.

As informações são da Reuters.