Turismo rural ganha força junto aos canaviais de Pernambuco

As zonas da mata Norte e Sul de Pernambuco estão descobrindo o potencial do turismo rural, o que pode representar um novo modelo de turismo sustentável para as cidades envolvidas. As áreas, até bem pouco tempo, dedicadas quase e unicamente ao cultivo da cana-de-açúcar terminaram por despertar para o potencial do setor de serviços, um dos que mais cresce em todo o mundo. De acordo com a Associação Pernambucana de Turismo Rural (Apeturr)existem no estado pelo menos 48 engenhos com vocação turística espalhados por 17 municípios. De acordo com a Agência de Desenvolvimento Econômico e Turístico de Pernambuco (AD/Diper), a partir do próximo ano deverá ser inaugurada uma rota específica para visitação aos engenhos da localizados nas Zonas das Matas Norte e Sul de Pernambuco.

Um objetivo secundário é retomar a fabricação de aguardente nos engenhos selecionados e criar uma espécie de roteiro gastronômico/cultural.

De acordo com a AD/Diper, há cerca de 30 anos que os engenhos pernambucanos abandonaram a produção de aguardente. O projeto de turismo rural para a Zona da Mata pernambucana conta com o aval do governo estadual que deverá assinar em dezembro deste ano um convênio com o Banco do Nordeste no valor de R$ 800 mil destinado a melhorar a infra-estrutura dos engenhos.

O estado também deve realizar uma licitação no valor de R$ 1 milhão para reconstruir o engenho Poço Cumprido, no município de Vicência, Mata Norte pernambucana, a 110 quilômetros da capital. O engenho poço cumprido é considerado o mais antigo do País, sendo datado do séc. XVI.

Turismo rural ganha força junto aos canaviais de Pernambuco

As zonas da mata Norte e Sul de Pernambuco estão descobrindo o potencial do turismo rural, o que pode representar um novo modelo de turismo sustentável para as cidades envolvidas. As áreas, até bem pouco tempo, dedicadas quase e unicamente ao cultivo da cana-de-açúcar terminaram por despertar para o potencial do setor de serviços, um dos que mais cresce em todo o mundo. De acordo com a Associação Pernambucana de Turismo Rural (Apeturr)existem no estado pelo menos 48 engenhos com vocação turística espalhados por 17 municípios. De acordo com a Agência de Desenvolvimento Econômico e Turístico de Pernambuco (AD/Diper), a partir do próximo ano deverá ser inaugurada uma rota específica para visitação aos engenhos da localizados nas Zonas das Matas Norte e Sul de Pernambuco.

Um objetivo secundário é retomar a fabricação de aguardente nos engenhos selecionados e criar uma espécie de roteiro gastronômico/cultural.

De acordo com a AD/Diper, há cerca de 30 anos que os engenhos pernambucanos abandonaram a produção de aguardente. O projeto de turismo rural para a Zona da Mata pernambucana conta com o aval do governo estadual que deverá assinar em dezembro deste ano um convênio com o Banco do Nordeste no valor de R$ 800 mil destinado a melhorar a infra-estrutura dos engenhos.

O estado também deve realizar uma licitação no valor de R$ 1 milhão para reconstruir o engenho Poço Cumprido, no município de Vicência, Mata Norte pernambucana, a 110 quilômetros da capital. O engenho poço cumprido é considerado o mais antigo do País, sendo datado do séc. XVI.

X