Trading argentina pretende ser líder com usina no MS

A trading Adecoagro, proprietária de 285,7 mil hectares de terras na Argentina, no Uruguai e no Brasil, está consolidando planos para implantar sua terceira usina de açúcar e etanol no País, em Ivinhema (MS), estimada em US$ 1 bilhão. A multinacional obteve crédito de R$ 488,6 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os recursos serão empregados na busca da liderança do setor, com meta de atingir capacidade de processar 11 milhões de toneladas de cana-de-açúcar até a safra de 2014/2015.

Atualmente, a companhia trabalha com cerca de cinco milhões de toneladas por ano.

De origem argentina, planta grãos e algodão em seu país, produz gado e carne bovina no Uruguai e possui cafezais e canaviais no Brasil. O mercado sucroalcooleiro corresponde a 36,4% dos negócios globais da companhia.

A primeira usina da Adecoagro, a Monte Alegre, está instalada em Minas Gerais, onde a trading produz, em média anual, 80 mil toneladas de açúcar e 30 mil de etanol – volumes destinados ao mercado mineiro.

A outra operação, em Angélica (MS), foi criada em 2008, também com apoio do BNDES, que emprestou R$ 151 milhões, na época, à companhia, que possui oito fazendas, num total de 13,2 mil hectares, no Mato Grosso do Sul – quadro destas em Ivinhema, para onde a empresa se encaminha.

Mix 2013/2014

A Angélica Agroenergia, com capacidade de processamento de quatro milhões de toneladas de cana por ano, tende a manter uma produção equilibrada de açúcar e etanol nesta safra.

A perspectiva de que o governo reajustará o preço da gasolina, dando maior competitividade ao biocombustível, favorece a opção da companhia pelo álcool, de acordo com o gerente de Produção da usina sul-mato-grossense, Maurício Peixoto.

No ano passado, a Adecoagro vinha produzindo mais açúcar do que etanol, atraída pela cotação da commodity, até o terceiro trimestre, período (janeiro a setembro) em que se processaram 201,2 mil toneladas de açúcar e 122,5 mil metros cúbicos de álcool.

No fim do ano, contudo, o governo fez crescer a demanda pelo etanol anidro, ao promover aumento da presença do biocombustível na gasolina de 20% para 25% – o que deve se repetir neste ano.

“Tudo depende do mercado [na decisão do mix de processamento de cana]. O anidro teve preço muito bom no ano passado”, disse Peixoto.

Prejuízo financeiro

Os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Lajida ou Ebitda, na sigla em inglês) da multinacional caíram 42,6% no período de janeiro a setembro de 2012 – o último apurado -, em relação aos mesmos meses do ano anterior.

O balanço dos três primeiros trimestres do ano também revela que o lucro líquido global da companhia foi negativo: US$ 16,4 milhões no vermelho, ante resultado de US$ 58,1 milhões no mesmo período de 2011.

Rentabilidade

O negócio de açúcar e etanol é o mais rentável da companhia, estando estabelecido exclusivamente no Brasil.

O segmento rendeu-lhe US$ 55,2 milhões em geração de caixa no período avaliado, enquanto outras culturas registraram movimentação de US$ 35,9 milhões.

As despesas corporativas puxaram para baixo o resultado do balanço parcial, com negativos US$ 18,8 milhões registrados em Ebitda.

Em vendas, a Adecoagro faturou US$ 433,2 milhões nos nove meses observados.

X