[TOP TEC] Quais são os novos espaçamentos no plantio de cana-de-açúcar

Foto: Rodrigo Carvalho Oliveira

A mecanização da colheita está exigindo que as unidades sucroenergéticas busquem novos espaçamentos no plantio de cana, com o objetivo de evitar o pisoteio da soqueira e a compactação da linha da cana.

Leia mais: [TOP TEC] Conheça a primeira cana geneticamente modificada do mundo

O duplo alternado – conhecido também como sulco duplo ou combinado – está ampliando o seu espaço nos canaviais. Uma das vantagens desse sistema é o menor caminhamento da colhedora que percorre 4.000 metros por hectare no 0,90 m x 1,60 m ou 4.555 metros no 0,90 m x 1,50 m, que são as medidas mais adotadas no duplo alternado.

Leia mais: 3 vantagens das duas novas variedades de cana do IAC

Apesar de pouco difundido no Brasil, o base larga – que utiliza geralmente o espaçamento 1,80 m ou 2,00 m – tem se tornado também uma boa solução, pois melhora as condições do canavial, facilitando, por exemplo, a canteirização, ou seja, o cultivo exclusivamente na linha da cana.

Leia mais: Minas Gerais: café e milho têm queda no faturamento, mas cana avança 15%

Outra técnica que, com a popularização do uso do piloto automático, voltou a ser adotada pelo setor de cana é a Meiosi (Método Interrotacional Ocorrendo Simultaneamente), na qual planta-se uma ou duas linhas de cana intercaladas por oito ou mais linhas de cereais ou adubação verde.

Leia mais: 5 usinas em recuperação judicial que totalizam 17,9 milhões de toneladas de cana

Quando estiver no ponto da formação do canavial, esta cana é colhida com colhedora convencional e seus toletes preenchem as linhas onde estava a cultura intercalar.

X