Térmicas levam o Brasil a 6º lugar em consumo

O uso mais forte das usinas termelétricas já se reflete no consumo global de petróleo e derivados no Brasil. Com represas baixas e a maior participação das usinas a diesel na produção elétrica, o Brasil ultrapassou a Arábia Saudita e chegou ao sexto lugar no ranking dos maiores consumidores de petróleo no mundo em outubro. A menor mistura de etanol à gasolina também reforçou a demanda. As informações constam de relatório divulgado nesta sexta-feira pela Associação Internacional de Energia (AIE).

Segundo o documento, o Brasil consumiu média de 3,193 milhões de barris por dia em outubro, volume 9,3% maior que o visto um ano antes. Atrás do Brasil, a Arábia Saudita consumiu média de 3,116 milhões de barris no mesmo mês. O ranking é liderado pelos Estados Unidos, China, Japão, Índia e Rússia.

“A demanda por diesel cresceu com o uso adicional na geração elétrica requerido para compensar o suprimento diante das secas nas hidrelétricas”, cita o texto. Segundo o relatório, o consumo brasileiro de diesel aumentou, na média, em 75 mil barris por dia em outubro.

Outro fator que aumentou o consumo do petróleo é a gasolina. Segundo a entidade, a menor mistura de etanol ao combustível brasileiro aumentou a demanda pelo derivado de petróleo na frota de veículos. Nesse caso, foram 60 mil barris adicionais no mês para a gasolina.

Para a AIE, os números devem se repetir em novembro, com um crescimento de cerca de 160 mil barris por dia.

X