Sudoeste tem cachaça versão drink do Paraná

O empenho e dedicação de agricultores familiares do sudoeste do Paraná resultaram em um produto de qualidade, com potencial para disputar o mercado de bebidas nobres. A cachaça Sudoeste, produto da Cooperativa Agroindustrial dos Produtores do Sudoeste (Coachaça), obteve uma nota alta durante rodada de negócios realizada no início do mês em Recife (PE), que reuniu possíveis compradores estrangeiros. Itália, Alemanha e Estados Unidos são possíveis clientes.

A entidade reúne 33 agricultores que produzem um milhão de litros ao ano, além de açúcar mascavo, rapadura e melado. A qualidade da bebida, segundo Nézio José da Silva, do Sebrae de Pato Branco, é resultado da adoção de técnicas de cultivo e processamento da cana.

“”É feita a seleção de solos e a identificação de microclimas da região, que conferem um sabor único cachaça””, descreve Nézio. Ele cita como diferencial o manejo e corte da cana, e o processo de fermentação da calda, feito sem produtos químicos. A cooperativa também investe em pesquisas para identificar as melhores madeiras para fabricar os tonéis de envelhecimento da bebida. A cachaça Sudoeste tem também a versão prata, ideal para drinks, com graduação alcoólica de 40 graus e que pode ser consumida gelada ou na temperatura ambiente.

O consultor destaca que a fabricação da cachaça e dos derivados envolve uma questão cultural no sudoeste.””Os primeiros agricultores trouxeram para a região as mudas para iniciar o cultivo””, diz. A atividade agrícola é mantida com a utilização de avanços tecnológicos e também por meio da cultura que é repassada no contato entre pais e filhos. (R.C.)

X