Solado PU/Borracha, resistência e leveza para o trabalhador

Em algumas atividades das indústrias, há incidência de altas e baixas temperaturas e ambientes altamente irregulares e agressivos. Nestas áreas, o solado indicado é de borracha, devido às suas características mecânicas de elasticidade e tração. Como a borracha é um composto de alta densidade, o solado resulta em resistência, mas também em peso acentuado.

Depois de alguns diagnósticos levantados através de pesquisas científicas em laboratório, chegou-se a conclusão que o solado para estas áreas acima declaradas poderiam ser mais leves, macios e com a mesma resistência. Planejamos, então, desenvolver um solado bicomponente e bidensidade, que resultaria em leveza e resistência, onde a camada que fica em atrito com o solo seria em borracha e acima dela em poliuretano (PU).

Sua primeira camada foi redesenhada para permitir maior expulsão de água e proporcionar melhor equilíbrio do corpo, a característica mecânica da borracha não foi alterada, permanecendo com excelente desempenho tanto em pisos quentes quanto frios, e naqueles topograficamente prejudicados. Para adesão com a camada de poliuretano (PU), vulcanizamos com a borracha uma manta fibrosa que também reage e adere ao PU quando injetado, garantindo a não abertura entre as camadas.

Na camada intermediária, que é complemento do solado, usamos poliuretano, um polímero de inúmeras características qualitativas, que dentre suas vantagens consegue deixar o solado 40% mais leve que um somente em borracha, além de reduzir o impacto gerado pelo corpo no caminhar. Somente estes diferenciais já seriam o suficiente para que o solado composto fosse um sucesso, porém ele ainda é mais eficaz.

Sendo a camada intermediária em PU de baixa densidade, significa que no seu interior participa uma considerável quantidade de gás carbônico. A função da porosidade é garantir a resiliência da sola, e como se trata de ambientes com altas e baixas temperaturas, o ar ali presente não permite a indução da temperatura externa para o interior do calçado, evitando assim, o superaquecimento ou o congelamento dos pés.

Atualmente, já participam deste projeto uma série de empresas ligadas às áreas metalúrgicas, siderúrgicas, frigoríficas, alimentícias e outras, aprovando em escala majoritária os benefícios proporcionados pelo novo produto, o solado PU/Borracha injeção direta no cabedal.

Mais informações Marluvas: 32 3693-4096

X