Sobretaxa do açúcar pode estar no fim

A sobretaxa do açúcar imposta pela Argentina poderá ter seus dias contados. Ao mesmo tempo em que o governo discute diplomaticamente a questão, o Parlamento também tenta acabar com a taxação.

Ontem, o ministro da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, Roberto Rodrigues, anunciou que tem uma reunião em Buenos Aires em agosto para debater o tema. Segundo ele, há um compromisso com o colega argentino, Miguel Campos, na questão.

O governo propôs que a Argentina produza mais álcool, que seria comprado pelo Brasil. Além disso haveria uma linha de financiamento, por intermédio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para instalação de destilarias no país vizinho. Segundo Rodrigues, com isso acabaria a sobretaxa e melhoraria a relação nas negociações da Alca e da OMC quanto ao açúcar e álcool.

Paralelamente, tramita no Congresso Nacional um projeto de lei que suspende as preferências tarifárias no Mercosul para o açúcar e todos os produtos que contenham 10% ou mais de açúcar em sua composição. O texto, em regime de urgência, precisa passar ainda pelas comissões de Constituição e Justiça e do Mercosul para ser levado ao Plenário da Câmara dos Deputados.

Sobretaxa do açúcar pode estar no fim

A sobretaxa do açúcar imposta pela Argentina poderá ter seus dias contados. Ao mesmo tempo em que o governo discute diplomaticamente a questão, o Parlamento também tenta acabar com a taxação.

Ontem, o ministro da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, Roberto Rodrigues, anunciou que tem uma reunião em Buenos Aires em agosto para debater o tema. Segundo ele há um compromisso com o colega argentino, Miguel Campos, na questão.

O governo propôs que a Argentina produza mais álcool, que seria comprado pelo Brasil. Além disso haveria uma linha de financiamento, por intermédio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para instalação de destilarias no país vizinho. Segundo Rodrigues, com isso acabaria a sobretaxa e melhoraria a relação nas negociações da Alca e da OMC quanto ao açúcar e álcool.

Paralelamente, tramita no Congresso Nacional um projeto de lei que suspende as preferências tarifárias no Mercosul para o açúcar e todos os produtos que contenham 10% ou mais de açúcar em sua composição. O texto, em regime de urgência, precisa passar ainda pelas comissões de Constituição e Justiça e do Mercosul para ser levado ao Plenário da Câmara dos Deputados.

X