Sinpetro-DF defende que postos comprem direto de usinas

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes do Distrito Federal (Sinpetro-DF), Carlos Recch, defendeu que os postos possam comprar álcool diretamente nas usinas como forma de reduzir os preços pagos pelos consumidores.

Ele também defendeu a presença de agentes fiscalizadores da Receita Federal na portas das usinas, para controlar a emissão de notas fiscais. “Nós nunca tivemos margem de lucro de 84% como foi dito em janeiro. Nossa margem de lucro era de 19% na época e hoje caiu para 14% por conta da queda de preços”, afirmou ele.

Recch apresentou ao ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, planilhas que comprovam que a sonegação de impostos e a adulteração do álcool gera prejuízos de R$ 1,5 bilhão por ano. Na gasolina, as perdas somam R$ 2 bilhões. Rodrigues reafirmou ao presidente do Sinpetro-DF que o governo criou a câmara setorial do açúcar e álcool para analisar todas essas questões.

X