Shell vai negociar com Cade para manter os negócios de aviação

A Shell deverá manter conversações com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para manter os negócios de aviação, considerados estratégicos para a companhia.

Na semana passada, o Cade condicionou a aprovação da compra da Cosan pela Shell à venda dos ativos físicos da Jacta Participações, que comercializa combustível de aviação nos principais aeroportos do país. A Shell comprou os negócios de aviação, que pertenciam aos ativos da Esso há dois anos. A empresa opera nesse setor em 54 aeroportos.

A empresa que adquirir os ativos terá o direito de participação nos parques de abastecimento localizados nos aeroportos de Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Guararapes (PE). A Shell terá de vender os parques de abastecimento mantidos pela Cosan nos aeroportos da Pampulha (Belo Horizonte), Viracopos (Campinas), Curitiba e Brasília.

Segundo Vasco Dias, presidente da Raízen, a companhia ainda está em negociação com o Cade, uma vez que esse foi o primeiro parecer do conselho. “São 100 anos de história da Shell nesse segmento”, afirmou. Essa decisão, segundo ele, não afeta os negócios da Raízen. (MS)

X