Shell escolhe Unicamp para projeto voltado ao biocombustível

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi a instituição escolhida pela Shell Brasil para o desenvolvimento de um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento em Biocombustíveis de 2ª geração a partir da cana de açúcar e de seus resíduos.

O anuncio do convênio foi feito ontem, na reitoria da universidade, pelo coordenador-geral da Unicamp, professor Fernando Costa, e por Graeme Sweeney, vice-presidente executivo de Combustíveis Futuros e CO2 da Shell.

da Shell.

A Shell investirá na fase inicial do projeto que deve durar quatro anos R$ 8 milhões. Com recursos deste convênio será construído o Laboratório de Biocombustíveis Avançados, numa área de 1,5 mil metros quadrados, na Unicamp. Farão parte do projeto de quatro a cinco pesquisadores principais com três assistentes cada um.

No Brasil a Shell atua na área de distribuição de combustíveis e de exploração e é uma das empresas que mais investe em pesquisa no mundo. A Globo Solutions é uma divisão da Shell voltada para pesquisa e conta hoje com aproximadamente dois mil pesquisadores e a Unicamp passa a integrar este grupo.

A parceria foi negociada com o apoio da Agência de Inovação Inova Unicamp e faz parte de um projeto global da Shell que compreende mais cinco acordos da empresa com Institutos de Pesquisa – o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Massachusetts (EUA); o Instituto de Microbiologia da Academia Chinesa de Ciências (IMCAS), em Pequim, e o Instituto Qingdao de Tecnologia em Bionenergia e Bioprocessos da Academia Chinesa de Ciências (QIBEBT), em Qingdao (China); o Centro de Excelência para Biocatálise, Biotransformações e Manufatura Biocatalítica (CoEBio3), baseado na Universidade de Manchester (Reino Unido), e a Escola de Biociências da Universidade de Exeter (Reino Unido). “Nada mais natural do que apoiar uma universidade fortemente empenhada em desenvolver novas tecnologias em busca de fontes energéticas mais sustentáveis”, afirma Vasco Dias, presidente da Shell no Brasil.

O projeto será executado na Faculdade de Engenharia Química da Unicamp (FEQ) com a coordenação das professoras Maria Aparecida Silva e Telma Teixeira Franco.

ANP

Na parte de biocombustíveis, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) tem uma Resolução de 2005 na qual os projetos desenvolvidos neste segmento devem ser apresentados e pré-aprovados por ela. A idéia foi apresentada pela Shell no dia 19 de março para a superintendência de pesquisa da ANP, que pré-aprovou a idéia. No dia 30 de abril foi apresentada a proposta concreta para a ANP. Em julho o projeto foi aprovado.

X