Setor presta contas à Lula

Os empresários do setor sucroalcooleiro prestaram as contas, ontem, ao presidente Lula. Com planilhas em mãos, representantes do setor garantiram que não faltará álcool na safra 2003/04, descartando o desabastecimento.

Também mostraram que os preços do álcool recuaram desde abril, com o início da moagem de cana. Nas bombas, contudo, os reflexos ainda não representam economia no bolso do consumidor. Levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP), entre os dias 18 e 24 de maio, mostra que o preço do litro álcool nas bombas fechou em R$ 1,504 (média nacional), um recuo de 3,7% em relação ao mês de abril, que ficou em R$ 1,562. No mesmo período, o álcool hidratado foi vendido pelas usinas paulistas – formadoras de preços para todo o Centro-Sul do Brasil – a R$ 0,69147 (sem impostos), com desvalorização de 18% sobre abril, de acordo com o índice Cepea.

Durante o seu discurso, Lula fez duras críticas aos integrantes da cadeia produtiva, chamando de “malandros” quem não repassou a queda dos preços ao consumidor. As distribuidoras afirmam que as empresas ainda trabalham com os volumes adquiridos em abril, quando os preços ainda seguiam firmes em razão da entressafra. O diretor do Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis (Sindicom) se defendeu afirmando que o impacto de redução nos preços será sentido a partir de junho.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Paiva Gouveia, alegou que não se pode reduzir os preços, nem comprometer as margens de lucro dos postos se as distribuidoras não repassarem a redução aos preços.

“As usinas produziram 608 milhões de litros até o dia 30 de abril, cumprindo o acordo. Prova disso é a queda dos preços do álcool no mercado interno”, afirmou Antônio de Pádua Rodrigues, da Unica (União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo).

Com oferta de álcool garantida, o governo confirmou a elevação da mistura do combustível na gasolina de 20% para 25% a partir de junho.

X