Setor da cana terá novo cálculo de preço em PE

Fornecedores de cana-de-açúcar e representantes do setor sucroalcooleiro discutiram no início desta semana, no Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar -PE), o início do processo de homologação do estatuto que regerá o Conselho dos Produtores da Cadeia Produtiva da Cana do Estado (Consecana-PE) a exemplo do sistema de definição do preço da tonelada da cana em vigor atualmente no Estado de São Paulo. O consecana é considerado o modelo mais bem-sucedido dos últimos 12 anos de precificação na cadeia produtiva da cana-de-açúcar.

O documento possibilita que as demandas da cadeia produtiva sejam atendidas nas esferas estaduais e, principalmente, federal.

De acordo com o secretário de Agricultura do Estado, Ranilson Ramos, esta é uma agenda positiva para o setor, que fatura R$ 1,7 bilhão por ano e gera 100 mil empregos diretos. “É a prova de que o segmento está maduro em relação a verticalização da cadeia, fortalecendo o fornecedor e a agroindústria para o enfrentamento com os setores públicos, principalmente com a União.”

O estado está investindo R$ 6 milhões na compra de fertilizantes para distribuir a cerca de 15 mil produtores de cana, através do Programa Terra Ponta em 2011. O conselho será presidido por Gerson Carneiro Leão, que atualmente é presidente do Sindicato dos Cultivadores de Cana de Pernambuco. Depois, ele será substituído por Renato Cunha ou por Alexandre Andrade, que integram a diretoria do conselho.

X