Setor aprova referência para etanol, mas se decepciona com crédito

Os preços de referência do etanol para os financiamentos de estocagem do combustível, anunciados nesta segunda-feira, 10, ´estão em linha com o mercado´, disse há pouco ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o presidente da consultoria Datagro, Plínio Nastari.

Segundo ele, o que merece mais atenção é a linha de crédito de R$ 2 bilhões, que considera insuficiente. ´Isso equivale a 1,6 bilhão de litros de hidratado, ou apenas um mês e meio de entressafra. Deveria ser, no mínimo, o dobro, ou seja, R$ 4 bilhões.´ Nastari diz, ainda, que a taxa de juros da linha de crédito, de 7,7%, ´não preocupa´, tendo em vista a inflação superior a 6%.

Para o presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e diretor da Canaplan, Luiz Carlos Corrêa Carvalho, o gerenciamento dos recursos precisa seguir alguns cuidados. ´O importante é garantir que os produtores, principalmente os pequenos, recebam esse dinheiro. Além disso, tem de ser liberado o quanto antes. Na verdade, já deveria ter sido liberado em março, para que os produtores se programassem para a atual safra´, disse. Na avaliação dele, os valores de referência para o etanol também são justos.

Uma resolução assinada pelo ministro da Agricultura, Antônio Andrade, publicada nesta segunda no Diário Oficial da União, estabelece os preços de referência do etanol em R$ 1,37 por litro de anidro e em R$ 1,21 por litro de hidratado. A linha de financiamento e os valores de referência haviam sido anunciados no fim de abril pelo governo.

X