Selo ajuda motorista a escolher melhor entre etanol e gasolina

O aumento no número de modelos pesquisados ajudará os consumidores a calcular com mais precisão a relação entre gasolina e etanol, usada para balizar a escolha na hora de abastecer.

O cálculo adotado hoje, amplamente aceito pelos especialistas, é uma média de 70%, similar à média obtida pelo instituto entre os veículos testados neste ano (68%).

A relação varia de acordo com modelo e uso (estrada ou cidade). Nos casos mais extremos, pode chegar a 74% e 60%. Percentuais mais altos aumentam a chance de vantagem para o etanol.

Para chegar a esse coeficiente, basta dividir o consumo auferido pelo Inmetro com etanol pelo de gasolina.

O resultado é usado para comparar preços. Nos postos, é preciso multiplicar o preço cobrado na gasolina pelo coeficiente (veja quadro acima).

Se o resultado ficar acima do preço do litro de etanol, este será mais vantajoso.

(GB)

X