Saiba em primeira mão: o que ajudou e atrapalhou a safra 17/18

Participantes da 2a. Reunião 2017 Canaplana, realizada nesta terça-feira (17/10) pela consultoria Canaplan em Ribeirão Preto, responderam enquete sobre questões relacionadas à safra 2017/18 no Centro-Sul.

A equipe do JornalCana, presente ao evento, apresenta os resultados do painel Produtividade, moderad por Paulo Rodrigues, diretor do Condomínio Agrícola Santa Izabel, com a participação de executivos da FMC, BASF, John Deere, Syngenta, Bayer e Adama.

Fato mais relevante para o caso da produtividade agrícola?

Para 32,3% dos participantes que responderam à pergunta, as chuvas de maio e agosto/17 ajudaram em muito a aumentar o movimento de produtividade da cana processada na 17/18.

Em segundo lugar, com 20% das respostas, está o maior uso de fertilizantes e bioestimulantes.

“Já vimos em abril esse tipo de resposta, onde a maioria respondeu que iria investir mais em fertilizantes e bioestimulantes, disse Paulo Rodrigues.

Com relação à qualidade da cana, qual foi a principal responsável? 

Para 38% dos participantes da enquete, a seca de junho/julho e de setembro de 2017 é a principal responsável. Já para 23,4%, a qualidade é explicada pelo melhor planejamento de colheita

Quais os maiores problemas de pragas verificados na 17/18?

Para 50,8% é o Stheronohorus, como da última avaliação; Já para 19,2%, é a broca.

Você realizou o maior tratamento visando à redução de doenças para o que?

Para 37%, o maior tratamento foi direcionado para a ferrugem. Para 24,1%, é o raquitismo.E, para 23,1%, o Colletotrichum.

X