Sai previsão de moagem de cana pelas usinas de Goiás

Sai a previsão de moagem de cana-de-açúcar pelas usinas de Goiás durante a safra 2018/19. A estimativa acaba de ser divulgada pela Superintendência Executiva de Agricultura, Pecuária e Irrigação da Secretaria de Desenvolvimento (SED).

Segundo o levantamento da SED, a previsão de moagem de cana pelas usinas de Goiás aponta para uma oferta de 75,6 milhões de toneladas da matéria-prima do etanol na safra em andamento no Estado. A temporada de produção sucroenergética goiana começou em abril último.

Conforme o estudo da SED, que divulga a previsão de moagem de cana pelas usinas de Goiás, a cana-de-açúcar ocupa área de 1,030 mil hectares.

Não deixe de ler: Usinas dão exemplo de aumento de produtividade e de redução de custo

Como foi em 2017

Em 2017, levantamento da safra da SED estimava oferta de 72,9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

E, em 2016, o mesmo estudo apontava para oferta de 71 milhões de toneladas da matéria-prima do etanol, do açúcar e da bioeletricidade.

Na safra 2017/18, a SED projetou produção média de 69,2 toneladas de cana-de-açúcar por hectare. O montante representou alta de 2,7% sobre o desempenho da temporada 2016/17.

Previsão de grãos

No mesmo levantamento no qual faz estimativa de moagem de cana pelas usinas de Goiás, a SED divulga projeções sobre a safra agrícola do Estado.

Conforme o estudo, a safra agrícola goiana das principais culturas temporárias – soja, milho, arroz, feijão, girassol, algodão, sorgo, tomate e cana-de-açúcar – deverá ser a maior da história, chegando a 22,47 milhões de toneladas, colhida numa área plantada de 5.338.731 hectares.

Este ano, conforme a SED, a safra agrícola goiana vai responder por 9,77% da produção nacional de grãos (11,12% de milho e 9,77% de soja), segundo estimativas da área de Estudos de Mercado, Estatística e Acompanhamento de Safra da (SED).

As projeções otimistas excluem o milho, que também é matéria-prima para a produção de etanol em unidade sucroenergética de Goiás.

O milho, conforme o levantamento, teve redução de produção no ano. No caso do cereal, a colheita chegou a 9,21 milhões de toneladas.

Clique aqui para ler na íntegra o texto com a previsão de moagem de cana pelas usinas de Goiás.

X