Safra de cana-de-açúcar deve ficar entre 264 milhões e 270 milhões de toneladas, informa a Unica

Levantamento atualizado pela União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo (Unica) mostra que a safra 2002/03 de cana-de-açúcar deve ficar entre 264 milhões e 270 milhões de toneladas no Centro-Sul do País, contra a estimativa inicial da entidade, de 272 milhões de toneladas, realizada em fevereiro. Os números não surpreenderam. A queda da produção foi atribuída ao clima quente e seco, sobretudo, a partir de março, nas principais regiões produtoras de cana de São Paulo.

Outra alteração foi em relação à qualidade da cana, que será 1% superior ao da safra anterior, a 2002/03. Segundo Eduardo Pereira de Carvalho, a seca provoca uma melhoria no rendimento da matéria-prima, pois retém a umidade da cana.

A produção de açúcar deve ficar entre 17,3 milhões e 17,5 milhões de toneladas, acima das 15,95 milhões produzidas na safra 2001/02. As exportações vão crescer em 1 milhão de toneladas, ficando entre 10 milhões e 10,3 milhões de toneladas. Segundo Carvalho, entre maio e julho deste ano foram embarcados mais 5 milhões de toneladas de açúcar, em razão da boa demanda pelo produto no mercado físico.

Os volumes produzidos de álcool também serão maiores e ficarão em 11,2 bilhões de litros, acima dos 10,16 bilhões da safra anterior. Os embarques ficarão em 450 milhões de litros.

De acordo com o balanço da Unica, mais da metade da safra de cana na região foi colhida. Carvalho disse que os resultados desta atual safra são semelhantes aos da safra 2000/01.

Efeito clima

A Unica fez uma análise detalhada do clima desde março deste ano, período marcado por forte estiagem. Segundo ele, a maioria das principais regiões produtoras de São Paulo registra falta de chuvas. Segundo ele, é preciso chover no mínimo 10 milímetros para que a umidade chegue ao solo.

De acordo com levantamento da revista Science, chuvas mais intensas estão previstas a partir do último trimestre do ano, influenciadas pelo El Niño. “Pode ter antecipação do final da safra este ano por conta das chuvas”, disse Carvalho. Se forem confirmadas, as chuvas poderão atrasar a colheita e prejudicar a moagem de cana-de-açúcar.

Renovação dos canaviais

As canas novas plantadas em 2001 respondem por 23% da produção total este ano, segundo a entidade. Todo ano, o índice de renovação dos canaviais fica entre 16% e 17%. Segundo Carvalho, a tendência é de que os canaviais em 2003 tenham uma redução na renovação.

Perfil da safra 2002/03 no Centro-Sul

Açúcar

Produção: entre 17,3 milhões e 17,5 milhões de toneladas

Exportação: entre 10 milhões e 10,3 milhões de toneladas

Estoque final em abril de 2003: 52 milhões de toneladas

Demanda no mercado interno: 7,3 milhões de toneladas

Álcool

Produção: 11,2 bilhões de litros

Exportação: 450 milhões de litros

Estoque final em abril de 2003: 133 milhões de litros

Demanda no mercado interno: 10,5 bilhões de litros

Fonte: Unica

Safra de cana-de-açúcar deve ficar entre 264 milhões e 270 milhões de toneladas, informa a Unica

Levantamento atualizado pela União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo (Unica) mostra que a safra 2002/03 de cana-de-açúcar deve ficar entre 264 milhões e 270 milhões de toneladas no Centro-Sul do País, contra a estimativa inicial da entidade, de 272 milhões de toneladas, realizada em fevereiro. Os números não surpreenderam. A queda da produção foi atribuída ao clima quente e seco, sobretudo, a partir de março, nas principais regiões produtoras de cana de São Paulo.

Outra alteração foi em relação à qualidade da cana, que será 1% superior ao da safra anterior, a 2002/03. Segundo Eduardo Pereira de Carvalho, a seca provoca uma melhoria no rendimento da matéria-prima, pois retém a umidade da cana.

A produção de açúcar deve ficar entre 17,3 milhões e 17,5 milhões de toneladas, acima das 15,95 milhões produzidas na safra 2001/02. As exportações vão crescer em 1 milhão de toneladas, ficando entre 10 milhões e 10,3 milhões de toneladas. Segundo Carvalho, entre maio e julho deste ano foram embarcados mais 5 milhões de toneladas de açúcar, em razão da boa demanda pelo produto no mercado físico.

Os volumes produzidos de álcool também serão maiores e ficarão em 11,2 bilhões de litros, acima dos 10,16 bilhões da safra anterior. Os embarques ficarão em 450 milhões de litros.

De acordo com o balanço da Unica, mais da metade da safra de cana na região foi colhida. Carvalho disse que os resultados desta atual safra são semelhantes aos da safra 2000/01.

Efeito clima

A Unica fez uma análise detalhada do clima desde março deste ano, período marcado por forte estiagem. Segundo ele, a maioria das principais regiões produtoras de São Paulo registra falta de chuvas. Segundo ele, é preciso chover no mínimo 10 milímetros para que a umidade chegue ao solo.

De acordo com levantamento da revista Science, chuvas mais intensas estão previstas a partir do último trimestre do ano, influenciadas pelo El Niño. “Pode ter antecipação do final da safra este ano por conta das chuvas”, disse Carvalho. Se forem confirmadas, as chuvas poderão atrasar a colheita e prejudicar a moagem de cana-de-açúcar.

Renovação dos canaviais

As canas novas plantadas em 2001 respondem por 23% da produção total este ano, segundo a entidade. Todo ano, o índice de renovação dos canaviais fica entre 16% e 17%. Segundo Carvalho, a tendência é de que os canaviais em 2003 tenham uma redução na renovação.

Perfil da safra 2002/03 no Centro-Sul

Açúcar

Produção: entre 17,3 milhões e 17,5 milhões de toneladas

Exportação: entre 10 milhões e 10,3 milhões de toneladas

Estoque final em abril de 2003: 52 milhões de toneladas

Demanda no mercado interno: 7,3 milhões de toneladas

Álcool

Produção: 11,2 bilhões de litros

Exportação: 450 milhões de litros

Estoque final em abril de 2003: 133 milhões de litros

Demanda no mercado interno: 10,5 bilhões de litros

Fonte: Unica

X