Rússia eleva taxa para importar açúcar

O governo da Rússia elevou as tarifas cobradas sobre as suas importações de açúcar demerara e refinado para os próximos seis meses, a partir de ontem, com o objetivo de defender os produtores internos de açúcar de beterraba, segundo anunciou ontem a agência de notícias Interfax, com base numa portaria do governo.

O país elevou a tarifa sobre as importações de açúcar demerara para € 230 (US$ 265,16) por tonelada a partir dos € 200 (US$ 230,58) por tonelada vigentes até o momento; já a tarifa sobre o açúcar refinado subiu para € 270 (US$ 311,28) por tonelada a partir dos € 240 (US$ 276,69) por tonelada anteriores, segundo informações da agência russa.

Acima da cota

A tarifa incide sobre o açúcar demerara importado pela Rússia superior à cota de 3,95 milhões de toneladas, informou ainda a fonte. Os volumes de açúcar inferiores à cota são importados sob a tarifa de € 95 (US$ 109,52) a tonelada. A Rússia vendeu direitos de importação do produto em níveis não superiores à cota num leilão realizado em setembro passado.

O país está examinando a possibilidade de adotar uma cota de importação de açúcar demerara de 3,4 milhões de toneladas e de cobrar uma tarifa de € 230 a tonelada sobre qualquer volume superior à cota, informou a Interfax.

A Rússia é o maior importador mundial de açúcar demerara, e adquire cerca de 66% do açúcar que necessita para o seu abastecimento interno do mercado externo. O país importou 4,44 milhões de toneladas de açúcar no ano passado e o Brasil é um dos principais fornecedores.

X