Rubens Ometto afirma que não faltará etanol e critica subsídios à gasolina

Abordado na manhã de ontem, 24 de junho, após participação em um evento do setor em São Paulo, capital, Rubens Ometto, presidente do conselho do Grupo Cosan, afirmou que não faltará etanol no mercado e criticou subsídios à gasolina.

“Não vai faltar etanol. Porque quando se tem menos álcool hidratado, automaticamente obtém-se mais gasolina. Afinal, o dólar está bom, o câmbio está barato, e com isso pode-se importar mais gasolina”, explicou.

Questionado sobre políticas públicas que podem favorecer o mercado de etanol, o executivo defende a não utilização de subsídios à gasolina.

“É preciso acabar com os subsídios e ser mais racional, traçando um planejamento baseado em coisas palpáveis. Quando o governo subsidia de um lado, mas é artificialista do outro, fica tudo muito difícil para o mercado. Isto altera o retorno sobre investimento, sobre o consumo e sobre o mercado, criando uma demanda desnecessária pela gasolina e uma competitividade irracional entre os produtores de etanol“, respondeu Rubens Ometto.

img7229
img7229


Apesar de afirmar publicamente que a chamada tecnologia de 2ª geração de etanol deverá entrar em escala com a cana a partir de 2015, Ometto corrobora com a fala de representantes do setor, como o gerente comercial corporativo da Bioenergética Tonon, Paulo Strini, de que o segmento deve focar na produção de etanol de cana-de-açúcar e que o etanol 2G deve ser pauta secundária para o nicho. “Se nossa principal matéria prima é cana, para que criarmos concorrentes? Assim, só nó fazemos”, descontraiu Ometto.

X