RJ: EPE realiza amanhã Leilão de Energia Nova

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) promove terça-feira (30) o Leilão de Energia Nova A-5. Os projetos inscritos totalizam uma capacidade instalada de geração de 25.252 megawatts (MW).

A EPE, no entanto, estimou que a quantidade real que poderá ser posta à venda na licitação – chamada de garantia física – equivale a 15.232 megawatts médios que estarão disponíveis para o mercado nacional a partir de 2013.

De acordo com informações divulgadas pela empresa, no início do mês 146 usinas foram habilitadas para participar do leilão. Para o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, isso demonstra, mais uma vez, que existem diversas empresas dispostas a investir no setor elétrico brasileiro, o que “dá tranqüilidade e garantia de que não faltará oferta para atender ao crescimento do mercado”.

O conjunto de usinas habilitadas inclui 11 diferentes tipos de fontes de energia, com destaque para as termelétricas movidas a óleo combustível. Foram habilitadas 63 usinas que utilizam esse tipo de combustível, com capacidade de geração de 11.537 megawatts – também o maior volume de energia a ser gerada.

Embora com menor potência instalada (1.410 MW), os empreendimentos movidos a bagaço de cana-de-açúcar ficaram com o segundo lugar: 28 usinas.

Já as térmicas movidas a gás natural regaseificado (que se beneficiarão do gás natural liquefeito – GNL – que a Petrobras está inserindo na matriz energética brasileira) totalizaram 17 empreendimentos, com potência instalada de 5.011 MW.

Foram habilitadas ainda sete usinas movidas a carvão mineral importado (3.550 MW) e apenas uma usina hidrelétrica, a do baixo Iguaçu, no Paraná, com 350 MW de potência e 172 MW médios de garantia física.

O leilão A-5/2008 será feito na internet e terá como objetivo atender ao mercado das empresas distribuidoras de energia elétrica – que participarão como compradoras – a partir de 2013.

A EPE informou ainda que o teto do preço para a energia foi definido em R$ 123 por megawatts/hora (MWh) para a fonte hídrica e de R$ 146/MWh para as outras fontes.

Os contratos de Comercialização de Energia Em Ambiente Regulado (CCEAR), a serem firmados entre as distribuidoras e os empreendedores que vencerem o leilão, terão prazo de validade de 30 anos para as usinas e pequenas centrais hidrelétricas e 15 anos para os empreendimentos que utilizarem outras fontes de energia ofertadas.

X