Relatório sobre bicombustíveis avançados dá cinco sugestões para o setor

Na última terça-feira (23/2), foi lançado o relatório “Second Genaration Biofuels Markets: State of Play, Trade and Developing Country Perspectives”, pela Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

O objetivo do documento, segundo a UNCTAD, é promover novas oportunidades de mercado para nações interessadas em desenvolver biocombustíveis avançados, um dos instrumentos mais eficazes no combate às mudanças climáticas.

Antes de encerrar suas análises, o relatório “Second Genaration Biofuels Markets: State of Play, Trade and Developing Country Perspectives” ressalta a importância da formulação de políticas públicas que deem suporte as ações exigidas da iniciativa privada.

São cinco sugestões:

  • Criar marcos regulatórios para a bioenergia avançada;
  • Promover a cooperação entre as organizações nacionais e empresas estrangeiras, a fim de facilitar a transferência de tecnologia;
  • Flexibilidade para os agentes de mercado que operam biorrefinarias atuarem em outros segmentos, incluindo materiais, alimentação, alimentos e energia;
  • Incorporar as lições dos critérios de sustentabilidade aplicadas na produção de combustíveis de primeira geração para os biocombustíveis avançados
  • E incentivar o diálogo técnico entre as diferentes regiões de produção de combustíveis avançados, a fim de garantir padrões compatíveis para matérias-primas e o comércio do produto.
X