Quase 57% da cana será destinada para a produção de etanol

O crescimento da demanda por etanol fará com que os produtores destinem 56,06% da safra 2010/2011 de cana-de-açúcar para produção de etanol, diminuindo para 43,94% as estimativas para a produção de açúcar, de acordo com os dados informados nesta quinta-feira pela União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica).

Segundo Rodrigues, tanto com relação ao açúcar e o etanol, os estoques serão maiores e mais confortáveis para atender o mercado garantindo o fluxo entre o final de uma safra e o início da safra. “Desta vez não teremos os choques de preços ou oferta reduzida como verificados no início do ano de 2010”, afirma Antonio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da Única.

“A frota de carros flex continua em expansão, é natural que as empresas priorizem a produção de etanol para atender a essa demanda”, pondera Luis Antônio Paes, gerente de produtos da Única.

No total, a produção de açúcar projetada é de 33,73 milhões de toneladas, queda de 1,06% em relação à primeira estimativa e aumento de 17,75% em relação as 28,64 milhões de toneladas produzidas na safra 2009/2010. Já a produção de etanol deverá atingir 26,39 bilhões de litros, queda de 3,66% em relação ao número inicialmente projetado e crescimento de 11,40% sobre os 23,69 bilhões de litros da safra anterior.

Dos 26,39 bilhões de litros de etanol que deverão ser produzidos neste ano, 19,07 bilhões serão de etanol hidratado e 7,31 bilhões de anidro.

“O potencial de crescimento da demanda é latente, tanto para o mercado de automóveis flex quanto para o mercado químico. Se a demanda de açúcar diminuir, o Brasil pode ainda incrementar em 3 bilhões de litros a produção de etanol”, avalia Pádua.

Rodrigues reitera que além da frota flex, há um importante crescimento no consumo de etanol não carburante no mercado interno. As vendas de etanol para outros fins no mercado doméstico já totalizaram 366 milhões de litros até 15 de agosto, e devem fechar a safra com um crescimento superior a 50% em relação ao último ano, acrescentou o executivo da Unica.

Ao contrário do que ocorre no mercado de açúcar (cujos embarques aumentaram de tal maneira que ocasionou fila nos portos brasileiros), as exportações de etanol permanecem abaixo dos valores históricos. Até o momento, as unidades do Centro-Sul já disponibilizaram para exportação 866,71 milhões de litros de etanol, volume 45,90% inferior ao observado em igual período do último ano. O valor estimado para o final da safra é de 1,45 bilhão de litros de etanol no Centro-Sul, contra 2,76 bilhões da safra 2009/2010.

No acumulado desde o início da safra até 15 de agosto, as vendas de etanol pelas unidades produtoras do Centro-Sul totalizaram 9,69 bilhões de litros, sendo que 8,82 bilhões foram destinados ao mercado doméstico.

X