Produção de açúcar deve ficar estável no centro-sul

Após três anos de alta, o percentual de cana destinado à produção de açúcar deve seguir estável na safra 2011/12 na região centro-sul. A baixa produtividade dos canaviais e a pressão do mercado por etanol hidratado -devido ao aumento de produção dos carros flex – são os principais fatores para a estagnação.

Na safra anterior (2010/11), a produção de açúcar abocanhou 44,73% dos 556,1 milhões de toneladas de cana processadas na região, segundo a Unica. O restante foi de etanol hidratado e anidro. Já na safra 2008/09, o mix de açúcar era de 39,45%. Esse percentual menor foi influenciado pelo aumento da demanda de etanol e a quebra de usinas, inclusive as mais novas, por causa dos efeitos da crise

financeira mundial no Brasil.

“O mix em 2011 não vai se alterar porque a produção de cana será a mesma e o potencial de consumo será do etanol hidratado, por causa dos carros flex”, disse Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica.

Ele afirmou que o crescimento do açúcar no mix da cana verificado nos últimos três anos acompanhou o mercado e foi impulsionado pelo aumento do consumo mundial e a quebra da safra de outros países, como a Índia, no ano passado. “Como só o Brasil tinha açúcar, as usinas tiveram de assumir a dinâmica do mercado e atender às necessidades. Mas o que falta é cana para produzir etanol hidratado. E temos de resolver isso com o governo”, disse.

Produção de açúcar deve ficar estável no centro-sul

Após três anos de alta, o percentual de cana destinado à produção de açúcar deve seguir estável na safra 2011/12 na região centro-sul.

A baixa produtividade dos canaviais e a pressão do mercado por etanol hidratado -devido ao aumento de produção dos carros flex- são os principais fatores para a estagnação.

Na safra anterior (2010/11), a produção de açúcar abocanhou 44,73% dos 556,1 milhões de toneladas de cana processadas na região, segundo a Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar). O restante foi de etanol hidratado e anidro.

Já na safra 2008/09, o mix de açúcar era de 39,45%. Esse percentual menor foi influenciado pelo aumento da demanda de etanol e a quebra de usinas, inclusive as mais novas, por causa dos efeitos da crise financeira mundial no Brasil.

“O mix em 2011 não vai se alterar porque a produção de cana será a mesma e o potencial de consumo será do etanol hidratado, por causa dos carros flex”, disse Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica.

Ele afirmou que o crescimento do açúcar no mix da cana verificado nos últimos três anos acompanhou o mercado e foi impulsionado pelo aumento do consumo mundial e a quebra da safra de outros países, como a Índia, no ano passado.

“Como só o Brasil tinha açúcar, as usinas tiveram de assumir a dinâmica do mercado e atender às necessidades. Mas o que falta é cana para produzir etanol hidratado. E temos de resolver isso com o governo”, disse.

PRODUÇÃO

Estimativa da consultoria FG/Agro, de Ribeirão Preto, indica que o açúcar concentre 45,7% do mix da cana na safra. A produção de açúcar deve ser de até 34,4 milhões de toneladas e a de etanol, de 25,1 bilhões de litros, entre hidratado e anidro.

Exemplo da dinâmica do mercado, a Cosan destinou 55% da cana para produção de açúcar na safra 2010/11. Foram 3,35 milh ões de toneladas de açúcar e 2,19 bilhões de litros de etanol.

Já o grupo São Martinho encerrou sua safra com moagem de 13,1 milhões de toneladas de cana, sendo 46% destinados à produção de açúcar e 54%, para etanol.

X