Próalcool depende do abastecimento

A retomada do Programa Brasileiro do Álcool (Próalcool) depende da garantia de abastecimento, segundo o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral. O ministro disse ainda que aumento do preço do álcool no mercado interno nos últimos dias, gerado pela transferência da produção para o açúcar, mostra que o governo está certo ao exigir esta garantia.

Amaral não descarta a possibilidade de o governo adotar o imposto de exportação para o açúcar sempre que houver este movimento. “Os produtores de álcool estão com um grande desafio: saber se eles preferem um ganho de curto prazo ou um ganho estratégico, que virá com a fabricação do carro a álcool e a abertura de novos mercados. Só depende deles”, disse o ministro. Ele refere-se ao fato de as usinas preferirem produzir açúcar em detrimento ao combustível, devido aos preços.

Amaral disse que vários países, como o Japão, estão interessados em comprar álcool brasileiro, mas só o farão se tiverem garantia de abastecimento. No Brasil, as vendas de veículos a álcool registraram recorde em outubro. O volume comercializado, de 8.844 automóveis e veículos comerciais leves, foi o maior desde agosto de 1994, segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). A tendência de crescimento, entretanto, pode ser interrompida nos próximos meses, depois do recente reajuste no preço do álcool combustível, de 22%, em média.

As vendas de outubro representaram um aumento de 51,5% em relação a setembro (5.839 unidades). Na comparação com outubro de 2001 (1.712 unidades), o crescimento foi de 417%, segundo a Anfavea. No acumulado do ano, as vendas de carros a álcool totalizam 42,3 mil unidades, volume 264% superior ao do mesmo período do ano passado.

X