Preços do açúcar apresentam “viés de baixa” no mercado interno

Depois de bater sucessivos recordes de preço nesta safra, as cotações do açúcar no mercado interno apresentam “viés de baixa”. Ontem, o preço de referência da saca de 50 quilos do produto ficou em R$ 39,88, um ligeiro recuo de 0,35% sobre a média da semana encerrada dia 15 de novembro, de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

“Ainda não dá para saber se é um tendência de baixa”, diz Júlio Maria Martins Borges, diretor da JOB Economia e Planejamento. “Não temos mais com o suporte da exportação, o que cria uma pressão maior no mercado doméstico”, avalia.

Para Rafael Nussbaumer Silva, analista da União Corretora, houve uma aceleração de compra por parte dos atacadistas nos últimos meses. De acordo com o Cepea, algumas usinas aumentaram a oferta no mercado por necessidade de caixa. No entanto, o produto não tem sido escoado pelo lado consumidor. Compradores ainda consideram alto o patamar de preços que o açúcar vem sendo ofertado.

Mesmo com viés de baixa, a tendência, segundo Nussbaumer, é de que os preços não recuem drasticamente. “As usinas não estão com os estoques carregados. Ou seja, a oferta na entressafra será ajustada”, diz.

A remuneração ainda mantém-se favorável no mercado interno sobre os volumes exportados.

Segundo o analista da União Corretora, algumas regiões, como a de Ribeirão Preto – principal pólo produtor do Estado de São Paulo – tem maior disponibilidade de produto. “Nesses locais, a saca é comercializada entre R$ 39,50 e R$ 40,20”, diz. Em regiões do Sul de São Paulo, porém, como Jaú, Piracicaba e Assis, a oferta é menor, com a saca negociada entre R$ 41 e R$ 41,50. “As usinas não têm ofertado o produto para tentar evitar a queda abrupta no mercado.”

X