Preços devem favorecer mais o consumidor do que a usina

img7183

Ao contrário da safra passada, o consumidor de etanol deverá ser mais beneficiado com os preços do produto nessa temporada. Na opinião de Tarcilo Rodrigues, diretor da Bioagência, os preços deverão beneficiar mais os consumidores do que a usina, principalmente para ganhar novos adeptos, já que o mercado da gasolina esteve muito aquecido nos últimos meses. Com o descarte da questão de desabastecimento, o setor poderá abastecer o mercado tranquilamente, segundo o especialista. Em entrevista exclusiva, Rodrigues fala do futuro do mercado do açúcar e etanol nessa e na safra seguinte e do processo de recuperação do segmento sucroenergético.

JornalCana – Como ficarão os preços do etanol na safra atual? Serão bons para os consumidores e para as usinas?

Tarcilo Rodrigues – Este ano os preços serão melhores para os consumidores do que para as usinas. Com a não sustentação do mercado de açúcar, a tendência é que o setor produza mais etanol. O produtor conseguirá escoar toda sua produção mas terá que dar uma vantagem para o consumidor optar por etanol. A realidade não será tão ruim para a usina, mas deve favorecer um pouco mais o consumidor. O preço do litro do etanol hidratado na usina com impostos deve fechar em torno de R$ 1,40, longe de fomentar investimentos, preço apenas para pagar as contas das empresas. Na bomba o litro deve ficar entre R$ 1,70 na safra e R$ 1,90, na entressafra. Os preços serão mais competitivos do que na safra passada graças a desoneração de carga tributária. O preço do anidro deve ficar com prêmio de 13% sobre o hidratado.

Confira a entrevista completa na edição 234 do JornalCana.

X