Preço do álcool sobe menos, mas já é encontrado a quase R$ 3 no país

O álcool hidratado (vendido nas bombas) continua registrando aumento de preços nos postos, mas em um ritmo menor do que nos dois primeiros meses do ano. Segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), na semana de 12 a 18 deste mês o litro do álcool custava em média R$ 1,996 no país, 0,75% acima do R$ 1,981 da semana anterior. O preço máximo detectado foi de R$ 2,910, no Rio Grande do Sul. O álcool ficou 11,8% mais caro do que há quatro semanas e, no ano, a alta foi de 24,4%.

No Estado do Rio, o álcool era vendido nos postos na semana passada a um preço médio de R$ 2,130 o litro, 2,06% maior que os R$ 2,087 da semana anterior — quando o aumento atingira 4,45%. O maior valor encontrado pela ANP foi de R$ 2,599. O preço médio já subiu 23,3% este ano. Já a gasolina foi vendida no Rio a um preço médio de R$ 2,565 o litro na semana passada, 0,27% mais cara do que os R$ 2,582 na semana anterior. Contra os R$ 2,516 de quatro semanas atrás, o aumento foi de 2,3%.

No país, os preços da gasolina estão relativamente estáveis. Na semana passada, o combustível era vendido a um preço médio de R$ 2,588 o litro (com máximo de R$ 3,300), o que representou um pequeno recuo, de 0,03%, sobre os R$ 2,589 da semana anterior. Mas em relação aos preços de quatro semanas atrás, a gasolina já ficou 3,2% mais cara na média nacional. Há quatro semanas o litro era vendido a R$ 2,507.

X