Preço da cana em Pernambuco tem nova composição e valor sobe

O Conselho de Produtores de Cana, Açúcar e Etanol do Estado (Consecana), órgão integrador das entidades dos produtores de cana e das unidades industriais, deverá chancelar nos próximos dias proposta do Sindicato da Indústria do Açúcar e Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar-PE).

Já aprovada pelos fornecedores de cana-de-açúcar do Estado em assembleia em 03/07/2017, na Associação dos Fornecedores de Cana do Estado (AFCP), a proposta traz mudança na composição do preço da matéria-prima fornecida pelos agricultores às usinas de cana-de-açúcar de PE.

A mudança eleva o valor final da cana.

Conforme a proposta já aprovada, o acréscimo na composição do preço da cana do agricultor deve ser de 2,95% em comparação à Taxa de Açúcar Recuperável (ATR) mensal.

“O incremento está relacionado à inclusão do crédito presumido sobre o etanol hidratado que é concedido pelo governo estadual às usinas, mas as unidades não repassavam aos canavieiros”, relata, em nota, Alexandre Andrade Lima, atual presidente do Consecana e também da AFCP.

Pela decisão na assembleia, com participação dos associados da AFCP e do Sindicato dos Cultivadores de Cana de Pernambuco, o novo valor da cana passará a vigorar com base no último mês de maio.

Assim, com referência do ATR deste período e mais a inclusão do referido crédito presumido, a tonelada da cana padrão sobe de R$ 88,88 para R$ 91,50.