Pratini: alta do dólar afeta o setor

O ministro da Agricultura, Pratini de Moraes, disse ontem, em Porto Alegre, que o impacto decorrente do aumento da taxa de câmbio, em função da especulação pré-eleitoral, é prejudicial para o meio rural. O dólar excessivamente alto está provocando a elevação das grades de preços de produtos de exportação, como a soja, explicou. Ele teme que a oscilação cambial também eleve o preço final do milho, onerando a produção de proteína animal de frangos e suínos. Essa distorção é prejudicial para o setor, sustentou.

Pratini esteve em Bagé no domingo, onde participou das atividades da 90ª Expofeira. Hoje, o ministro participa de evento na Fiergs e de encontro com produtores do Vale dos Sinos, em Campo Bom. O Ministério da Agricultura deverá anunciar nos próximos dias a operacionalização do programa de opções da safrinha de sorgo e milho. O objetivo é estimular o plantio de sorgo no RS de modo a atender as necessidades da avicultura e suinocultura. Pratini mostrou-se também preocupado com os reflexos decorrentes do El Niño nas plantações gaúchas. Segundo ele, a equipe técnica da Conab tem mantido acompanhamento sistemático da evolução pluviométrica. No final de semana, em função de uma trégua da chuva, muitos produtores retomaram o plantio de milho e soja, ressaltou. Quanto à produção de arroz, para Pratini, ainda não há motivos para alarme. Somente se as chuvas prosseguirem no mês de novembro poderão afetar a produção de arroz, argumentou. Ele aconselhou os produtores a ficarem em estado de alerta. Hoje, Pratini fala sobre o programa Moderfrota, na Fiergs, em Porto Alegre. (Correio do Povo)

X