PF e Procuradoria investigam corrupção no Ibama de Barretos

A Polícia Federal cumpriu nesta quarta-feira quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela 4ª Vara Federal de Ribeirão Preto para apurar possível corrupção e violação de sigilo funcional praticados por um servidor público do escritório regional do Ibama em Barretos (SP). O nome do servidor não foi divulgado.

Os mandados foram requeridos pelo Ministério Público Federal em Ribeirão Preto. Segundo a Procuradoria, as apurações realizadas até agora indicam que o servidor público vazava informações sigilosas sobre fiscalizações do Ibama para a diretoria de uma usina de cana-de-açúcar situada em Olímpia.

“O contato entre o diretor da usina e o servidor do Ibama era feito por um consultor ambiental de Olímpia”, informou o procurador da República em Ribeirão Preto André Menezes, responsável pelo caso. “Assim, a direção da usina ficava sabendo com antecedência sobre fiscalizações que seria m feitas tanto em Olímpia como em outras cidades da região onde também atuava”, reiterou.

A investigação já contou com interceptações telefônicas judicialmente autorizadas, nas quais os investigados foram flagrados conversando sobre informações sigilosas do Ibama. O servidor investigado informava para a direção da usina qual seria a ênfase da fiscalização, explicitando que documentação seria exigida e o tipo de irregularidade que seria vistoriada.

As buscas ocorreram no escritório do Ibama em Barretos e nas residências dos três investigados. O objetivo era apreender papéis, documentos e arquivos de computador que reforçassem a prova de corrupção.

O material apreendido será analisado pela Polícia Federal. Segundo a Procuradoria, não há indícios de participação de outros funcionários da usina, nem de outros servidores do Ibama. A reportagem não conseguiu contato com a assessoria do Ibama para comentar o assunto.

X