Petróleo sobe com reserva nos EUA e atentado em Tel Aviv

O preço do petróleo disparou mais de 4% em Nova York, com a persistente preocupação sobre a oferta mundial do produto. O efeito combinado da queda nas reservas dos EUA e com o ataque suicida em Tel Aviv que deixou um total de 15 israelenses mortos reverteram a tendência de baixa do petróleo nos mercados internacionais.

O temor de uma nova escalada da violência na região e a queda nas reservas dos EUA ofuscam o término dos 30 dias de suspensão das exportações do Iraque em represália às operações militares de Israel em territórios palestinos na Cisjordânia.

Na Bolsa de Mercadorias de Nova York, o petróleo para entrega em junho fechou negociado a US$ 27,85 o barril, com alta de 4,58%. Já na Bolsa Internacional do Petróleo, em Londres, o óleo do tipo Brent, também com entrega em junho, subiu 2,40%. O barril foi cotado a US$ 26,03.

Reservas

A Administração de Informações de Energia, agência ligada ao Departamento de Energia dos EUA, divulgou hoje que as reservas de petróleo do país caíram em 5,5 milhões de barris, para um total de 320 milhões na semana terminada na sexta-feira passada.

Já o Instituto Americano do Petróleo estima uma queda de 4,5 milhões de barris. O relatório, divulgado ontem à noite, calcula o total das reservas norte-americanas em 321,1 milhões.

Oriente Médio

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, prometeu uma “resposta dura”ao atentado suicida em Tel Aviv. Ele volta hoje a Israel, depois de interromper sua visita oficial aos EUA. Ao chegar a Israel, o premiê vai convocar seu gabinete de segurança para decidir a resposta a ser tomada após o ataque realizado por um suicida do braço armado do movimento extremista islâmico Hamas, que deixou ontem à noite 16 mortos, incluindo 15 israelenses e o autor do atentado.

A promessa de pesada ofensiva israelense ofusca o efeito positivo do reinício das exportações do Iraque, que bombeia 3% do petróleo consumido no mundo. O Ministério iraquiano de Petróleo informou hoje que o envio do petróleo a seus clientes estrangeiros será retomado a partir desta quinta-feira. “O carregamento do petróleo iraquiano em barcos petroleiros será feito a partir deste 9 de maio”, informou a agência oficial Ina, citando um alto funcionário do Ministério de Petróleo.(BOL)

X