Petróleo recua após acordo para acabar com cerco a Arafat

Os preços do petróleo recuam levemente nos mercados internacionais após o acordo entre israelenses e palestinos para encerrar o cerco ao quartel-general de Iasser Arafat. O presidente da Autoridade Palestina deverá estar livre para sair de seu QG em até dois dias, segundo autoridades israelenses.

Com este acordo, a expectativa entre analistas é de que os países árabes sejam desencorajados a acompanhar o Iraque em seu boicote às exportações de petróleo. No último dia 8 o governo iraquiano anunciou a suspensão das exportações por 30 dias em represália a Israel.

Em Londres, o óleo do tipo Brent recua 0,45% na Bolsa Internacional do Petróleo. O barril para entrega em junho é cotado a US$ 26,08.

Já no pregão eletrônico da Bolsa de Mercadorias de Nova York, o petróleo, também com entrega em junho, é negociado US$ 26,95 o barril, com desvalorização de 0,59%.

Ontem, o governo dos EUA anunciou israelenses e palestinos aceitaram os termos do acordo. Aprovado anteriormente pelo governo israelense, o plano sugere que forças de segurança norte-americanas e britânicas ficarão responsáveis em deter quatro militantes acusados na quinta-feira (25) por um tribunal palestino de matar o ministro do Turismo de Israel Rehavam Zeevi, em outubro do ano passado.

Já Israel exigiu a extradição dos quatro acusados e de um oficial palestino envolvido no contrabando de armas para a Autoridade Palestina como condição para acabar com o cerco ao quartel-general de Arafat. (Folha Online

X