“Perspectivas para o setor são as melhores possíveis”, diz Biagi

“Foi uma reunião fantástica, onde ficou claro que as perspectivas para o setor são as melhores possíveis”, declarou Maurílio Biagi Filho, conselheiro da Companhia Energética Santa Elisa, depois da reunião que teve com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília, na última segunda-feira.

De acordo com a assessoria de imprensa, Biagi participou da reunião entre representantes do setor sucroalcooleiro e o Governo Federal, para uma prestação de contas do acordo que foi firmado no início do ano.

Na reunião da última segunda-feira, o setor mostrou ao presidente que os preços do álcool anidro (que vai misturado na gasolina) tiveram queda de 26,15% e o hidratado recuou 21,66% no período entre 7 de fevereiro e 23 de maio. A produção de álcool, segundo a União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo – UNICA, foi além das expectativas e atingiu 608 milhões de litros em abril.

Biagi explica que o presidente Lula reconheceu os esforços do setor e garantiu que a partir deste domingo, 1° de junho, a mistura do álcool na gasolina retorna ao patamar de 25%. Em seu discurso, o presidente fez um alerta para que a produção de açúcar se mantivesse estável, mesmo que os preços internacionais se tornem mais compensadores que os do álcool, para que a produção do combustível renovável não seja prejudicada e, com isso, o consumidor não sofra com a falta do produto. “O presidente lembrou que o mundo está de olho no álcool brasileiro e sugeriu que fossem fechados contratos de exportação de longo prazo para garantia do mercado e credibilidade do setor, o que ajuda a atrair investimetos externos. Ele citou como exemplo o Japão e a Suíça, que já anunciaram disposição de adquirir o álcool brasileiro. A Suíça é um país pequeno, vai consumir pouco álcool, mas um bom contrato pode representar a porta de entrada para toda a Europa, na visão do presidente Lula”, frisa Biagi.

No mesmo dia, Maurílio Biagi, que também é integrante do Conselho de

Desenvolvimento Econômico e Social – CDES, participou da instalação da

Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Açúcar e do Álcool, no Ministério da Agricultura, como representante da Associação Brasileira da Infra-Estrutura e da Indústria de Base – ABDIB, entidade da qual é vice-presidente.

X